A discussão em cima do clássico BUFF, como também é conhecido o bombardeiro da USAF, se está novamente em vigor. Todos sabem, para aumentar a vida útil do B-52H algumas mudanças na aeronave são necessárias, a começar pela troca dos 8 motores do avião, que já oferecem um empecilho na manutenção e consumo.

Os motores que equipam o B-52 é o Pratt & Whitney TF33, que ao longo de quase 60 anos mostrou-se bem eficaz.  Para isso 3 empresas entraram na concorrência, são elas as gigantes do mercado a Pratt & Whitney, Rolls-Royce e GE Aviation.



A USAF irá emitir uma solicitação com pedido de substituição dos TF33 perto do primeiro trimestre de 2019, de acordo com um documento da Força Aérea divulgado em 13 de março.

O contrato para substituição dos motores de 76 bombardeiros Boeing B-52H da USAF seria provavelmente concedido cerca de quatro a seis meses após a apresentação das propostas finais, de acordo com o documento. Ao todo se estima que sejam 608 novos motores, o que mais uma vez demostra a importância que os EUA dão às questões militares.

O futuro dos bombardeiros norte-americanos não fica só com o B-52H. Em um futuro próximo é a esperada a entrada em serviço do bombardeiro furtivo Northrop Grumman B-21. Os atuais B-2 Spirit e o B-1B Lancer deverão ser aposentados até 2040.