Veja uma carga de 160 toneladas sendo colocada dentro do Antonov An-225

Durante uma série de 12 voos consecutivos para transportar cargas de 160 toneladas para a Bolívia, a Antonov aproveitou para gravar esse vídeo acima, mostrando como uma carga com este peso é colocada a bordo do maior avião do mundo.

No vídeo podemos perceber que a preparação dos guindastes é bem mais demorada em comparação com o içamento da carga para o trilho, que facilita o deslize do peso para dentro do avião.

A Antonov explicou em postagem oficial que precisou adaptar os pontos de içamento da aeronave, devido à altura da carga dessa forma ser superior ao suportado pelo An-225. A partir do minuto 3:33 podemos observar isso, técnicos retiram os suportes de içamento antes da carga entrar na aeronave.

Chegando no destino os técnicos realizam o deslize da carga pelo trilho, e quando ela já está fora da aeronave instalam novamente os pontos de içamento.

A Antonov também precisou alterar o piso da aeronave, visto que a carga excedeu os valores máximos permitidos para o AN-225, devido ao pequeno tamanho e peso elevado. Um sistema de redistribuição de peso, com painéis de amortecimento, foi instalado para lidar com a distribuição de peso da carga no chão do avião.

Novamente devido ao grande peso estar em um pequeno ponto da aeronave, a tripulação técnica recebeu um treinamento especial com finalidade de lidar com os limites do avião no pouso e na decolagem, além das manobras no ar.

Todo o sistema usado para colocar e retirar essa carga foi projetado pela Antonov Company.

 

Finalidade da missão

Esses 12 voos foram realizados para transportar geradores de vapor por recuperação de calor (HRSG), a Bolívia pediu 12 unidades de cada, sendo que cada gerador pesa 160 toneladas, uma missão que só o Antonov An-225 poderia fazer em pouco tempo.

Os módulos foram fabricados no Chile pela Hansa Meyer Global Transport GmbH & Co, e nas últimas semanas a aeronave ficou realizando voos entre os dois países para o transporte desta carga.

O Aeroporto de Chimore, na Bolívia, não tem autorização para operações noturnas, todo o processo, incluindo o descarregamento da carga e a partida da aeronave, teve que ser completado estritamente durante o dia.

A Antonov Airlines transportou seu próprio trator de reboque do Aeroporto de Gostomel, em Kiev, na Ucrânia, para o Chile, visto que o local não tinha nada que suportasse o An-225 com essa carga a bordo.

A Antonov também precisou levar equipamento para Chimore, com finalidade de suportar a operação do An-225 no local.

This post is available in: pt-brPortuguês