Boeing 737 MAX
Foto - Divulgação

A Boeing concordou em pagar US$ 2,5 bilhões (£ 1,8 bilhão) para encerrar as acusações criminais dos EUA, envolvendo um suposto ocultamento de informações de funcionários de segurança sobre o projeto de seus aviões 737 MAX.

O Departamento de Justiça dos EUA disse que a empresa escolheu “lucro em vez de franqueza”, impedindo a supervisão dos aviões, que estavam envolvidos em dois acidentes.

Cerca de US$ 500 milhões irão para as famílias das 346 pessoas mortas nas tragédias. A Boeing disse que o acordo reconhece como a empresa “falhou”.

O presidente-executivo da Boeing, David Calhoun, disse: “Acredito firmemente que entrar nessa resolução é a coisa certa a fazer – um passo que reconhece apropriadamente como ficamos aquém de nossos valores e expectativas.”

“Esta resolução é um sério lembrete para todos nós de quão crítica é nossa obrigação de transparência para com os reguladores e as consequências que nossa empresa pode enfrentar se qualquer um de nós ficar aquém dessas expectativas.”

Da penalidade total, a maioria, US$ 1,77 bilhão, deve ser direcionada aos clientes empresa, que foram afetados pela subsequente paralisação dos aviões.

 

Via – BBC

DEIXE UMA RESPOSTA