737 MAX FAA
Foto: Boeing/Divulgação

Sem voar na China desde o início de 2019, o Boeing 737 MAX está cada vez mais próximo de retomar as suas operações no país asiático, com a possibilidade do sinal verde acontecer ainda este mês.

Vale lembrar que a China foi o primeiro país a proibir os voos do 737 MAX em março de 2019 após uma segunda queda do modelo em menos de cinco meses, se tornando um dos últimos países a liberar o uso do jato em meio a tensões com os Estados Unidos.

Segundo informações da Bloomberg, em 9 de janeiro, um 737 da MAX da Hainan Airlines realizou um voo de testes com os reguladores chineses para se certificar das alterações vigentes no software da aeronave. Apesar do otimismo, fontes que não quiseram se identificar disseram que a retomada poderá ocorrer nas próximas semanas

Continua depois do anúncio

Por outro lado, as companhias aéreas deixaram em aberto se usarão o MAX de imediato, ainda mais pelo fato do ano novo chinês estar se aproximando.

Após a notícia da Bloomberg, as ações da Boeing tiveram um aumento de 8% em relação ao mesmo período do ano anterior.

Agora, com a volta do MAX, a Boeing terá a oportunidade de atuar em um dos mercados mais promissores, sendo o mais importante dentre todos os mercados estrangeiros para o fabricante norte-americano, principalmente pela oportunidade de alavancar as suas vendas no mercado de aeronaves de corredor único (narrowbody).

Continua depois do anúncio

Por fim, caso se confirme a volta do 737 MAX na China, a Boeing espera que o jato também volte a voar na Rússia, outro mercado estratégico que em breve contará com aviões concorrentes russos.

Com informações: Bloomberg

Continua depois do anúncio