Foto - Divulgação

Parte dos últimos atrasos enfrentados pelo Boeing 777X é resultado de alterações que a fabricante vem fazendo na aeronave, incluindo modificações nos controles de atuadores, a fim de atender as expectativas dos órgãos reguladores. 

A empresa está “fazendo modificações de projeto prudentes conforme necessário”, disse o CEO da Boeing, David Calhoun, sobre o programa de desenvolvimento do 777X. O anúncio foi feito durante a divulgação de resultados financeiros do ano de 2020.

A Boeing está trabalhando em “mudanças de firmware e hardware” envolvendo controles de atuadores, Calhoun acrescenta, dizendo que a mudança “reflete as expectativas dos reguladores globais”. 

Ainda hoje a Boeing confirmou o atraso na entrega do 777-9X, cuja primeira unidade deve ser recebida pelo cliente no final de 2023. A previsão anterior era para 2022. No ano passado, Calhoun afirmou que o processo de certificação do 777X reflete aprendizados vindos da certificação do 737 MAX. 

“Nossa decisão de implementar modificações no projeto da aeronave acrescentou tempo ao programa” e elevou o custo do programa, disse o diretor financeiro da Boeing, Greg Smith.
A empresa não revelou mais detalhes sobre as alterações na aeronave, assim como a FAA se recusa a comentar. 

A Boeing diz que sua decisão de atrasar a entrega do primeiro 777X também segue uma revisão das condições de mercado. A pandemia de  Covid-19 diminuiu muito a demanda por novos jatos widebody.

Via Flightglobal