Foto - Boeing/Divulgação

Em meio às turbulências da Boeing em 2019, que contaremos de forma compilada na retrospectiva de aviação deste ano, o Boeing 787 Dreamliner conseguiu “segurar a barra” e gerar maiores receitas para a Boeing, que manteve durante todo ano a produção expandida do seu widebody de sucesso.

No total, em 2019 a Boeing já entregou 936 aviões Dreamliner desde que a All Nippon Airways (ANA) do Japão recebeu o primeiro em 2011.

Dado o fato da Boeing ter anunciado que reduzirá a produção do 787 de 14 aeronaves por mês para 12 em 2020, ainda assim ela deverá atingir o número mágico de 1000 aviões produzidos por volta do meio do ano.

“É difícil prever neste momento quando e onde a 1000ª entrega ocorrerá, pois houve muito tumulto no cronograma de entrega do 787 este ano e isso ainda não acabou”, disse uma reportagem do jornal The Post and Courier.

No entanto, a Singapore Airlines tem o slot de número 1000 na linha de produção, para a produção de um 787-10.

Surpreendentemente, a Singapore Airlines também recebeu da Boeing o 1000º avião do modelo 747 produzido.

O próximo ano, 2020, também soa como um alívio para a fabricante norte-americana de aviões, visto que a nova certificação do 737 MAX deverá ser concluída ainda no 1º semestre, e o 777X estará livre para começar os voos de testes a partir de janeiro, após receber novos motores GE9X.