Querosene de Aviação QAV ABEAR Combustível

O Conselho Internacional de Aeroportos (Airports Council International | ACI World) e o Aerospace Technology Institute (ATI), do Reino Unido, lançaram hoje um estudo inédito sobre como os combustíveis de aviação sustentáveis (SAF) vão apoiar a descarbonização da indústria e contribuir para a construção de um futuro viável para a aviação e para as comunidades em todo o mundo.

A publicação Integration of Sustainable Aviation Fuels into the Air Transport System (“Integração dos Combustíveis Sustentáveis de Aviação ao Sistema de Transporte Aéreo”) fornece uma visão geral dos requisitos de infraestrutura e operacionais para a introdução de combustíveis de hidrocarbonetos sustentáveis nos aeroportos.

O documento aborda os desafios e soluções práticas para implantar o SAF, desde em casos de voos pontuais até às cadeias de suprimentos totalmente integradas.

Por meio do Air Transport Action Group (ATAG), o setor de aviação em geral se comprometeu a zerar as emissões líquidas de CO2 até 2050. O SAF é um pilar fundamental para alcançar esta ambiciosa meta estabelecida pela indústria da aviação e por muitos governos.

Hoje, no entanto, a produção global de SAF é dominada por dois produtores, com alguns outros produzindo lotes de SAF sob demanda. É necessário avançar neste trabalho para tornar o SAF totalmente compatível com os sistemas de distribuição, infraestrutura de armazenamento e aeronaves existentes.

A futura cadeia de suprimentos do SAF demanda logística e instalações próprias para a mistura do combustível para que seja possível escalar a produção e chegar às centenas de milhões de toneladas que serão necessárias à medida em que o tráfego aéreo se recuperar.

A publicação visa, assim, reiterar os benefícios ambientais do SAF; informar as partes interessadas da aviação sobre a cadeia de valor do SAF e seus potenciais papéis dentro dela; delinear a infraestrutura necessária para escalar, produzir, misturar, transportar e armazenar SAF; e destacar os desafios logísticos, técnicos e de infraestrutura – bem como possíveis soluções – para tornar o SAF um dos principais elementos a contribuir para a redução das emissões da aviação.

“ACI tem o prazer de dar continuidade à colaboração com a ATI para fornecer outro estudo crítico para nossos membros e para a indústria do transporte aéreo em geral. O SAF pode proporcionar a maior oportunidade para reduções de emissões de carbono da aviação até 2050 , mas, para que isso aconteça, é necessário que ocorra uma ampliação e colaboração sem precedentes em todo o ecossistema da aviação.”

A publicação “Integração de Combustíveis Sustentáveis de Aviação no Sistema de Transporte Aéreo traz recomendações para que as partes interessadas considerem quando iniciar ou ampliar sua jornada no SAF. Indústria e os governos devem agir agora para garantir a descarbonização deste setor vital e contribuir para um futuro viável para muitas gerações futuras.”, disse o diretor-geral de ACI World, Luis Felipe de Oliveira.

“The Aerospace Technology Institute tem o prazer de ter estabelecido esta parceria com o Conselho Internacional de Aeroportos neste importante trabalho”, disse Gary Elliott, CEO da ATI.

“O SAF é fundamental para o futuro do setor aeroespacial e nosso estudo conjunto nos ajuda a entender os desafios de produção, distribuição, infraestrutura e tecnologia à frente e como podemos começar a enfrentá-los”.

A publicação é baseada em uma extensa revisão da literatura e entrevistas com aeroportos, fornecedores de combustível, acadêmicos e fabricantes, e os colaboradores incluem a ACI EUROPE, entre outras organizações de aviação.

O documento baseia-se no material apresentado em Sustainable Energy Sources for Aviation: An Airport Perspective , de ACI, e complementa a parceria ACI-ATI de Integration of Hydrogen Aircraft into the Air Transport System: An Airports Operations and Infrastructure Review.

 

 

Com informações da ACI World