MiG-21 acidente Índia
MiG-21U similar ao que caiu na quinta-feira (28), matando os dois pilotos. Foto: DIBYANGSHU SARKAR/AFP

Dois pilotos da Força Aérea Indiana (IAF) morreram na noite de quinta-feira (28) em um acidente com um caça MiG-21 de treinamento. A aeronave caiu na cidade de Barmer, no estado do Rajastão, na fronteira com o Paquistão. 

A queda da aeronave, um MiG-21U de dois assentos, foi confirmada pela IAF ainda ontem. A Força Aérea disse que os pilotos, Comandante M. Rana e Tenente Advitiya Bal, haviam decolado da Base Aérea de Utarlai para um voo de instrução. Por volta das 21:10 (horário local) a aeronave caiu em Barmer, com os aviadores sendo fatalmente feridos.

“A IAF lamenta profundamente a perda de vidas e está firmemente com as famílias enlutadas”, acrescentou em comunicado. A IAF reiterou que um tribunal de inquérito foi formado para investigar as causas do acidente.

O ministro da Defesa, Rajnath Singh, também expressou seus sentimentos, dizendo estar profundamente angustiado pela perda dos pilotos que chamou de “Guerreiros do Ar”. 

Apesar de ter caças modernos como o Sukhoi Su-30MKI e Dassault Rafale, uma boa parte da frota da IAF é composta de vetores antigos, como SEPECAT Jaguar e o próprio MiG-21, com cerca de 130 unidades de cada modelo. 
 
Dentre todos o MiG-21 é o que apresenta um dos piores históricos de segurança de voo e acidentes com este jato antigo, desenvolvido na União Soviética na década de 1950, acabaram se tornando comuns no país. Em 2021 foram cinco destes eventos, sendo três fatais. O acidente desta quinta-feira marca o único de 2022 até o momento. 
 
MiG-21 Bison da Força Aérea Indiana.
A IAF está aposentando os velhos caças, substituindo-os pelos HAL Tejas de 4ª geração, fabricados localmente.