Ações da Azul disparam, em dia de novidades na frota da companhia

Azul

Em um dia de grandes novidades na frota da Azul, e no operacional, a companhia aérea fechou o dia com as ações em grande alta, de 8,58%, fechando a R$ 62,41.

A companhia divulgou logo cedo que estava repassando, em regime de subleasing, 53 aviões Embraer E-Jet E1 para a LOT Airlines e a Breeze Aviation uma companhia aérea start-up com sede os EUA, com participação de David Neeleman.

O repasse dessas aeronaves vão acelerar a renovação de frota da Azul, que está trocando os seus E190-E1 pela nova geração, os E195-E2.

A Azul estimou que a substituição de toda a frota de E195 deve gerar 4,8 bilhões de reais de Ebitda incremental entre 2020 e 2027, visto que o subleasing permite cobrir os custos extras de “comprar um avião novo”.

Novo plano de frota inclui 170 aviões na frota em 2022, e a retirada total dos aviões de geração antiga até o final do mesmo ano.

A Azul também divulgou um plano de frota atualizado, onde confirma a encomenda de 75 aviões E195-E2. Anteriormente a companhia deveria receber 51 aviões desse modelo.

 

Substituição rápida da frota tem uma justificativa

Novo E195-E2 tem 18 assentos adicionais, e voa com maior economia de combustível.

A Azul conduziu uma extensa análise financeira sobre os benefícios da substituição dos E195s por aeronaves de nova geração mais eficientes em termos de consumo de combustível.


As aeronaves Embraer E2 têm um custo por viagem 14% menor, e um custo unitário 26% menor em comparação aos E195, além de ter 18 assentos adicionais.

Essa significativa redução de custos é impulsionada principalmente pela eficiência no consumo de combustível do E2, menor custo de aquisição e reduzidos custos de manutenção, conforme detalhado na tabela acima.

Como resultado do menor custo por assento do E2, a Companhia espera operar essas aeronaves com uma taxa de utilização de aproximadamente 13 horas por dia, aumentando ainda mais a rentabilidade desse equipamento.

Considerando que o prazo remanescente do contrato de locação da frota atual de E195 da Azul é de 4,7 anos, a Companhia acredita que a aceleração da transformação de sua frota irá gerar um fluxo de caixa operacional incremental de aproximadamente R$2,9 bilhões entre 2020 e 2027.

Especificamente, a empresa espera que o melhor desempenho dos E2, combinado com a receita de subarrendamento, mais do que compensarão o custo incremental de acelerar a substituição de todos os E195 até 2022.

Adicionalmente, a substituição de toda a frota de E195 da Azul deve gerar R$4,8 bilhões de EBITDA incremental entre 2020 e 2027, ou aproximadamente R$16 milhões por aeronave E195 substituída, em uma base anualizada.

Devido à diferença entre o valor contábil dos arrendamentos atuais dos E195 e o valor recuperável estimado, a Companhia espera reconhecer uma baixa não-caixa de até US$750 milhões, que será refletido no resultado do quarto trimestre da Companhia, conforme detalhado abaixo.

 

DEIXE UMA RESPOSTA