Global 7000 em testes. Foto - Bombardier/Divulgação

(Reuters) – A canadense Bombardier cortou suas projeções de lucro e receita anual nesta quinta-feira devido a atrasos na entrega e desafios de produção em alguns projetos de sua principal unidade de fabricação de vagões, e as ações afundaram 25 por cento no início do pregão.

O cortes nas projeções ocorre no momento em que a fabricante de aviões e trens se aproxima do fim de um plano de recuperação de cinco anos, após um investimento pesado na produção de aviões levar a empresa à beira da falência em 2015.

As ações eliminaram parte das perdas, com uma queda de 18 por cento às 14h33 (horário de Brasília), a maior perda na Bolsa de Valores de Toronto e a ação mais negociada.

A Bombardier cortou a estimativa de receita para 2019 em cerca de um bilhão, para 17 bilhões de dólares, e previu que o lucro básico ajustado fique entre 1,5 bilhão e 1,65 bilhão de dólares, ante expectativa anterior de 1,65 bilhão a 1,8 bilhão.

A Bombardier reduziu sua receita do negócio de vagões ferroviários para o ano em 750 milhões de dólares, para cerca de 8,75 bilhões, e entre 250 milhões e 1,15 bilhão de dólares para seus negócios de aeronaves comerciais.

A Bombardier também previu lucro ajustado, lucro operacional e receita menores do que o esperado para o trimestre, devido a atrasos na entrega de aeronaves, desaceleração do crescimento em seus negócios de transporte e oscilações cambiais desfavoráveis.

A empresa divulgará os resultados do trimestre em 2 de maio.