Foto - Embraer/Reprodução

Depois de uma declaração de Bolsonaro nesta sexta-feira, durante a cerimônia de troca de comando na Força Aérea Brasileira, o presidente afirmou que concorda com o acordo entre a Embraer e Boeing, mas que está preocupado com o futuro da empresa após a joint-venture com a Boeing na área comercial.

Veja mais sobre isso Clicando Aqui.

Seria muito bom essa fusão… mas é uma preocupação nossa daqui cinco anos tudo ser repassado para o outro lado. É um patrimônio nosso”, disse Bolsonaro, em breve entrevista a jornalistas durante evento na Base Aérea de Brasília.

“Sabemos da necessidade dessa fusão, até para que ela (Embraer) consiga competitividade…não venha a se perder com o tempo”, acrescentou Bolsonaro, sem informar quando e se usará o poder de veto da União sobre o negócio anunciado no ano passado.

Isso causou uma rápida reação no mercado, as ações da empresa (EMBR3) fecharam o dia com uma acentuada queda de 5,02%, cotadas em R$ 20,80 na Bovespa. Essa foi a maior queda do Ibovespa, que fechou o dia com uma leve alta de 0,3%.

Essa queda anulou os ganhos que eram registrados desde o dia 17 de dezembro, quando a Boeing e a Embraer anunciaram que os termos do acordo foram definidos pelas empresas e aprovados pela diretoria da Embraer (veja mais Clicando Aqui).