LATAM
Foto: Gabriel Melo/Aeroflap

As ações do Grupo LATAM tiveram uma grande desvalorização desde a apresentação do Plano de Recuperação Judicial da companhia, na última sexta-feira (26/11). Acumulando uma queda acima de 50% nos fechamentos desde a última terça-feira (13), atualmente as ações são negociadas com valores próximos a 0,4ç de dólar.

O grande motivo para a queda de 45,4% nas ações desde a sexta-feira (26) é um detalhe no Plano de Recuperação da LATAM, que aponta para uma multiplicação de capital da empresa através da emissão de mais ações, diminuindo o valor de cada uma existente atualmente.

Na última segunda-feira (29) as ações chegaram a uma queda de 84% no valor, logo no início do dia, chegando ao nível mais baixo desde abril de 1999. No entanto, as ações corrigiram seu valor ao longo do dia, fechando com uma queda de 45,3% em relação ao valor de fechamento na sexta-feira.

Só nesta terça-feira as ações registram queda de 41,43% às 15h55, cotadas em Nova York a 0,41ç de dólar. Há sete dias as ações estavam cotadas a 1,50 dólar, em média.

O Plano propõe a injeção de US$ 8,19 bilhões ao grupo por meio de uma combinação de capital novo, títulos conversíveis e dívida, que permitirá ao grupo sair do Capítulo 11 com a capitalização adequada para executar seu plano de negócios.

Após a saída, a LATAM deverá ter uma dívida total de aproximadamente US$ 7,26 bilhões e liquidez de aproximadamente US$ 2,67 bilhões. O Grupo determinou que esse é um nível de endividamento conservador e uma liquidez adequada em um período de incerteza contínua para a aviação mundial, que permitirá um melhor posicionamento do grupo para futuras operações.

 

DEIXE UMA RESPOSTA