A Aer Lingus divulgou recentemente, em um relatório do Grupo IAG, que conseguiu atingir uma grande meta ao longo de 2018 com uma mínima alteração: A implementação de luzes de pouso retráteis nas suas aeronaves.

De acordo com a empresa, foram 570 toneladas de CO2 que deixaram de ser produzidas, somente diminuindo o arrasto através da função de retrair as luzes de pouso.

Nas aeronaves da família Airbus A320, presente em massa na frota da Aer Lingus, as luzes retráteis de pouso ficam localizadas próximas da raiz de cada asa.

A Aer Lingus é uma companhia do Grupo IAG, e está inserida no plano do grupo de reduzir até 60% as emissões de carbono. A companhia vai alterar a sua frota, com foco em menor consumo de combustível, custos e emissão de CO2.

Outras companhias aéreas do mesmo grupo reduziram suas emissões através de outras medidas, confira:

  • A Vueling reduziu as emissões de CO2 em 1000 toneladas por ano, somente equipando sua frota de aeronaves com assentos de passageiros feitos de componentes mais leves.
  • A Iberia reduziu as emissões de CO2 em 200 toneladas, fazendo ajustes no uso da água a bordo.
  • A BA deixou de emitir 7.000 toneladas de CO2 ajustando os planos de voo.