Aerolíneas Argentinas

O governo argentino vai fornecer mais US$ 650 milhões em aporte financeiro para a companhia estatal Aerolíneas Argentinas. Ao longo dos três últimos anos, o governo concedeu a empresa quase US$ 2 bilhões.

A Aerolíneas Argentinas é de controle estatal desde 2008, desde então a empresa conseguiu reduzir as dívidas mas ainda não lucrou como esperado. Em 2021, a companhia aérea registrou prejuízo de US$ 667 milhões em razão dos impactos da pandemia, a empresa deixou de operar por mais de 6 meses.

Nos primeiros meses de 2022, a Aerolíneas Argentinas já recebeu US$ 256 milhões. Os valores iniciais previam US$ 566 milhões em aporte financeiro dado pelo governo, mas esse valor foi reajustado em 15%. 

A companhia aérea não divulga seus dados financeiros no ano, apenas um ano depois mas tudo indica que a estatal teve um bom desempenho. Em número de passageiros foram transportados 4,3 milhões nos primeiros seis meses do ano, números maiores do que quase o ano de 2021 inteiro.

A Aerolíneas também investiu em novas aeronaves visando economia de combustível, a empresa recebeu seu primeiro Boeing 737 MAX em quatro anos além de novos Airbus A330 para a frota de longo curso. 

A companhia retirou algumas aeronaves mais antigas e incorporou os 26 Embraer E190 vindos da Austral que agora passaram a voar com a marca Aerolíneas Argentinas. 

O governo aposta na retomada do setor também para impulsionar tanto a empresa como o turismo local. Nos últimos anos em razão da crise, diversas empresas deixaram de operar no país e com isso o número de turistas também caiu.

Nos primeiros meses de 2022, Buenos Aires recebeu 257 mil turistas, esse número é 66% menor em relação aos números de 2019.

 

 

Com informações da Simple Flying