A Aeromexico está próxima de fazer um novo pedido para 60 aviões, mas agora optando pelos modelos regionais para renovar a sua frota.

A informação foi repassada pelo presidente-executivo da companhia, Andres Conesa, que relatou o desejo da companhia de encomendar 60 aviões regionais de nova geração. A negociação total da companhia pode variar entre US$ 4,25 bilhões a US$ 4,9 bilhões.

A Aeromexico ainda está indecisa entre o Embraer E195-E2 e o Airbus A220, e os estudos com esses dois aviões estão ocorrendo desde 2017, de acordo com Conesa.

De acordo com Andres Conesa, “o E195-E2 aumentaria a capacidade de assentos em cerca de 25% em comparação com a frota existente da companhia aérea, de jatos Embraer E190 de 1ª geração, enquanto a A220 proporcionaria um aumento de 35%”.

A falta de infraestrutura dificulta nossa capacidade de ter mais operações. A única possibilidade de crescer é adicionando aviões maiores”, disse Andres Conesa.

Essa encomenda para 60 aviões é para substituir diretamente o E190, e alguns aviões Boeing 737-700. Não há demais pistas sobre qual a preferência da Aeromexico nessa disputa, e o fato de participar de uma joint-venture com a Delta pode não influenciar as escolhas da companhia.
 
A Aeromexico já estipulou que vai manter três modelos na sua frota, incluindo a subsidiária regional Aeromexico Connect. A companhia já estabeleceu dois modelos para o futuro, o Boeing 787 Dreamliner e o Boeing 737 MAX, falta o 3º modelo que abrange o mercado de 150 a 100 assentos.
 
 
Via – Bloomberg