Aeronaves militares dos EUA não estão preparadas para a guerra, aponta relatório

Seguintes aeornaves da USAF, A-10C Thunderbolt II, F-16 Fighting Falcon, F-35A Lightining II e F-22 Raptor- Foto: Foto Ten. Sam Eckholm/USAF

Um novo relatório do US Government Accountability Office reduz a taxa de prontidão dos aviões militares dos EUA, revelando que quase nenhum deles foi capaz de manter um nível consistentemente alto de aeronaves “capazes de realizar missões” nos últimos nove anos.

O relatório, Weapon Systemas Sustainment , estudou 46 tipos de aeronaves militares pilotadas pela Força Aérea, Marinha, Corpo de Fuzileiros Navais e Exército dos EUA. O relatório analisou aviões de combate como o F-22 Raptor , F-35 Joint Strike Fighter , F / A-18C Hornet e A-10 Thunderbolt , mas também aeronaves de apoio importantes como o transporte C-17 Globemaster III , KC-135 Stratotanker , e e-6B Mercury comando nuclear e aviões de controle.

F-22 Raptor- Foto: USAF

O relatório classificou os 46 tipos de aeronaves em sua capacidade de manter um nível de capacidade de missão de pelo menos 80 por cento, ou seja, a capacidade de cada tipo de ter pelo menos 80 por cento de suas aeronaves capazes de realizar pelo menos uma de suas missões atribuídas . Por exemplo, a frota F-22 Raptor seria classificada como capaz de missão em um único ano se 80% de suas aeronaves fossem declaradas prontas para o combate aéreo.

Infelizmente, isso nunca realmente aconteceu; a frota de F-22 falhou em atingir 80 por cento da capacidade de missão nem uma vez nos últimos nove anos. O mesmo segue  para o F / A-18E / F, F-16 Fighting Falcon , F-15C / D Eagle e AV-8B Harrier.

F-35A Lightining II- Foto da Força Aérea dos EUA por Airman Sênior Alexander Cook

A aeronave que se saiu melhor foi o F-15E Strike Eagle, a versão multifuncional do F-15, alcançando 80 por cento em quatro de nove anos.

Os bombardeiros pesados ​​dos EUA como um todo também tiveram um desempenho ruim, com o B-2 Spirit e o B-52 Stratofortress atingindo 80 por cento da capacidade de missão em apenas três dos nove anos. A frota de bombardeiros B-1B Lancer , que excedeu sua vida útil projetada de 30 anos, falhou em atender a disponibilidade de 80 por cento em todos os nove anos. O B-2 e o B-1B serão substituídos pelo próximo bombardeiro B-21 Raider.

Futuro bombardeiro estratégico dos EUA., B-21. Arte- USAF

Outras aeronaves de suporte chave também tiveram um desempenho ruim. Os aviões E-2D Advanced Hawkeye da Marinha, os olhos e ouvidos dos superportadores americanos, acertaram zero para nove. O KC-135 Stratotanker, a espinha dorsal da frota de tanques da Força Aérea, atingiu 80 por cento da capacidade de missão em apenas três anos em nove. E o helicóptero de carga pesada CH-47 Chinook do Exército também não conseguiu atingir a referência em nove dos nove anos.


Pontos brilhantes no relatório são difíceis de encontrar, mas existem. A frota de F-35 do Pentágono, incluindo F-35As da Força Aérea, F-35Bs do Corpo de Fuzileiros Navais e F-35Cs da Marinha, está geralmente melhorando a disponibilidade de missão e o custo de voar a maioria dos aviões (22 tipos de 46) realmente diminuiu.

Isso é importante, pois os chamados custos operacionais e de suporte podem totalizar até 70% do custo total de propriedade de uma aeronave. Um caça a jato, por exemplo, pode custar $ 80 milhões entregues, mas pode incorrer em custos adicionais de $ 170 milhões durante a vida útil do avião.

F-18E Super Hornet- Foto: Marinha dos EUA

O relatório do GAO é um aviso claro de que a frota de aeronaves do Pentágono corre o risco de se tornar uma “força oca” – se ainda não o é.

Aeronaves, especialmente caças e bombardeiros avançados, são peças complicadas de maquinário, e ninguém espera que todas elas estejam prontas para a guerra 100% do tempo. Oitenta por cento, por outro lado, é um número razoável e, no entanto, parece inatingível para a maioria dos aviões.

O Pentágono corre o risco de ter centenas, senão milhares, de aeronaves que parecem letais e prontas de fora, mas não são capazes de realizar seu trabalho.

 

FONTE: Popular Mechanics

 

DEIXE UMA RESPOSTA