A-29 Super Tucano Afeganistão Tajiquistão
A-29 Super Tucano da Força Aérea Afegã carregando bombas GBU-58. Foto: Staff Sgt. Jared Duhon/USAF.

O Tajiquistão poderá receber autorização dos EUA para ficar com aeronaves que pertenciam ao Afeganistão e fugiram do país com a tomada do Talibã em 2021. Entre os modelos estão os turboélices de ataque leve Embraer A-29 Super Tucano. 

Em agosto de 2021, dezenas de aviões e helicópteros da agora extinta Força Aérea Afegã (AAF) fugiram do país com a tomada de poder pelo Talibã.

Em meio a crise que foi observada com choque pelo mundo todo, pilotos da AAF embarcaram em seus A-29, UH-60 Black Hawk e Mil Mi-8/Mi-17 e fugiram para o Tajiquistão e Uzbequistão, ao norte do país.

Mi-17 helicóptero Afeganistão
Helicópteros Mi-17 Hip da antiga Força Aérea Afegã. Foto: US Army.

Desde então, mais de 60 aeronaves permanecem nos países vizinhos e o Talibã ainda exige que sejam devolvidas, observa a Reuters.

Em janeiro deste ano, o ministro da Defesa interino do Talibã, Mawlawi Mohammad Yaqoob, exigiu o retorno das aeronaves: “Não permitiremos que essas aeronaves permaneçam no exterior ou sejam usadas por esses países”, disse Yaqoob. Ele ainda ameaçou, dizendo que “medidas de retaliação” seriam tomadas se os dois países não atendessem às demandas.  

No último fim de semana, comandante do Comando Central dos EUA, General Michael Kurilla, esteve no Tajiquistão. “Somos gratos às Forças Armadas da República do Tajiquistão por continuarem a proteger as aeronaves que a Força Aérea Afegã levou para o país em agosto passado”, disse o General. 

A-29B voando sobre o Afeganistão. Foto: Força Aérea dos EUA/Capitão Eydie Sakura

“Os Estados Unidos estão trabalhando com o governo tadjique para determinar a melhor maneira de usar e manter efetivamente as aeronaves”, disse Kurilla. O Oficial também afirmou que os aviões e helicópteros não serão devolvidos “porque não pertencem ao Talibã”.

“Nossa esperança é poder entregar algumas ou todas as aeronaves ao governo tadjique. Não tenho um cronograma de quando isso ocorrerá, mas estamos trabalhando duro para que isso aconteça.”

Os aviões e helicópteros, assim como o treinamento de mecânicos e tripulantes, foram financiados pelo Governo dos EUA como um apoio ao Afeganistão na luta contra o Talibã.

UH-60 Black Hawk da AAF. Foto: USMC.

Com a eminente tomada de Cabul pelo novo regime em 2021, dezenas de aeronaves foram danificadas por tropas que ainda permaneciam no aeroporto, que foi palco de uma fuga desesperada de milhares de afegãos. 

O Pentágono estimou que 64 das 160 aeronaves da AAF fugiram do país, sendo 46 para o Uzbequistão e 18 para o Tajiquistão.