O Aeroporto Internacional de Belém/Val de Cans – Júlio Cezar Ribeiro (PA) completa 59 anos de operações, nesta quarta-feira (24/1), com recorde de movimentação de cargas.

O destaque foi o setor de importação, que movimentou 472 toneladas em 2017, 66% a mais do que o ano anterior. Peças e equipamentos para os seguimentos de mineração e metalurgia estão entre os principais itens que chegaram ao país pelo terminal belenense. O setor de exportação também apresentou bom desempenho em 2017, com movimentação de 901 toneladas, crescimento de 43% em relação a 2016.

Para o superintendente do Aeroporto Internacional de Belém, Fábio Rodrigues, as novas oportunidades de negócios para exportadores devem aumentar em 2018. “Principalmente por conta de novos voos internacionais para os Estados Unidos, confirmando a disposição do terminal em se tornar um importante hub para o transporte internacional de passageiros e cargas”, destaca.

Ainda em comemoração ao 59º aniversário do Aeroporto Internacional de Belém, os concessionários destaques de 2017 irão receber placa comemorativa em agradecimento à parceria firmada no último ano. Os quesitos abordados para receber a homenagem foram: varejo aeroportuário, empresa aérea com melhor tempo de restituição de bagagem e maior presença em briefing da Infraero.





Caractetísticas



Capital com grande influência indígena, onde se encontram iguarias típicas como tucupi, jambu, tacacá, maniçoba e o famoso açaí, além das variedades de atrativos turísticos, Belém (PA) se tornou um dos destinos mais procurados da região Norte por viajantes de todo o mundo. A cidade também abriga a maior manifestação religiosa católica do Brasil e um dos maiores eventos religiosos do mundo, o Círio de Nazaré, realizado em outubro.

O Gerente de Negócios Comerciais do terminal, Francisco das Chagas Ferreira da Silva destaca a importância estratégica do Aeroporto Internacional de Belém. “O terminal vem oportunizando inúmeros benefícios que se concretizam na economia local, no turismo, escoamento da produção, captação de novos investimentos, oportunidade de geração de negócios e empregos, além de ser um elo indispensável às políticas de desenvolvimento da região amazônica”, diz.





O aeroporto em números



O Val-de-Cans tem capacidade para receber 7,7 milhões de passageiros por ano. Em 2017, mais de 3,3 milhões de pessoas passaram pelo terminal, entre brasileiros e estrangeiros, o que coloca o aeroporto como o mais movimentado da região Norte em quantidade de passageiros transportados, ocupando a 9º colocação do ranking da Rede Infraero.

A média diária é de 70 voos entre pousos e decolagens comerciais regulares, de seis companhias aéreas (Gol, Latam, MAP, Azul, Surinam e TAP). Os voos interligam Belém a diversos destinos brasileiros – Congonhas e Guarulhos (SP); Recife (PE); Brasília (DF); Macapá (AP); Altamira, Marabá e Santarém (PA); Rio de Janeiro (RJ); Confins (MG); Manaus (AM); Fortaleza (CE); São Luís (MA); Cuiabá (MT). Já os voos internacionais ligam a capital paraense à Europa, aos Estados Unidos, ao Suriname e à Guiana Francesa.





Obras

Com conclusão prevista para o início do segundo semestre deste ano, as obras de recuperação do pavimento, drenagem subsuperficial e serviços complementares na pista secundária de pouso e decolagem não param.

De acordo com Fábio Rodrigues, já foi feita toda a fresagem da pista. “O serviço de canaletas de drenagem já está em andamento para fazermos o recapeamento. A obra está prosseguindo dentro do previsto com conclusão para julho”, destaca. Ainda existem outras melhorias em andamento no terminal: revitalizações das pontes de embarque e das escadas rolantes.

 

Via – Infraero