Foto - Divulgação

Com a alta temporada de verão chegando, o fluxo de passageiros no Aeroporto de Brasília aumenta, assim como a demanda por informações e auxílio aos viajantes. Para reforçar a equipe de atendimento ao cliente durante o mês de dezembro, cinco alunos da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais do Distrito Federal (APAE-DF) estão fazendo um estágio de 20 dias no terminal brasiliense. O trabalho consiste em responder os questionamentos dos passageiros, checar a limpeza do terminal e acionar equipes de limpeza e manutenção quando necessário, além de vistoriar as áreas de grande circulação do Aeroporto.

Os novos funcionários têm deficiência intelectual e são atendidos pela APAE-DF. Na instituição realizam cursos e recebem treinamentos pelos profissionais da Associação. O objetivo da Inframerica é incluir estes alunos no mercado de trabalho e ensiná-los como é trabalhar no setor aeroportuário. Os atendentes da concessionária são “padrinhos” e “madrinhas” de cada um dos cinco estagiários e os estão acompanhando diariamente nas rotinas estabelecidas. A equipe está identificada com coletes feitos especialmente para o programa. 

Para o vice-presidente do Aeroporto de Brasília, Juan Djedjeian, o projeto trará benefícios tanto para o atendimento no terminal quanto para o desenvolvimento dos alunos da APAE-DF. “Os meninos terão a oportunidade de conhecer a dinâmica de trabalho do Aeroporto, ter contato com diversas pessoas e principalmente nos ajudar. Uma ótima oportunidade para o desenvolvimento profissional desses jovens e dos nossos atendentes. Acredito que este projeto também sensibilizará e surpreenderá os viajantes que forem atendidos por eles”, diz.

Para Diego Banzer, coordenador de Atendimento ao Cliente do Terminal, receber o grupo de alunos da APAE-DF tem sido muito importante para o desenvolvimento da equipe do aeroporto. “Tivemos tantos voluntários no time querendo ajudar e ser o padrinho ou madrinha dos estudantes que envolveu positivamente toda a equipe. Eles são muito atentos e têm auxiliado muito. Estamos todos encantados com o trabalho que eles estão desenvolvendo”, conta Banzer.

“Estamos felizes porque o papel do Movimento Apaeano é justamente esse, unir colaboradores e parceiros em favor da pessoa com deficiência intelectual, garantindo o desenvolvimento de suas potencialidades e promovendo sua inclusão, especialmente no mundo do trabalho”, afirma Diva da Silva Marinho, presidente da APAE-DF.   

A Casa do Pão de Queijo, o restaurante Viena, Grão Café e Rei do Pão de Queijo são lojistas que possuem comércio no terminal, estão apoiando a ação fornecendo lanches para os estagiários. As empresas Stilo Flex e a empresa de produção de uniformes Sunpoll também são parceiros do projeto.

Nos dias 25, 27 e 29 de novembro, os alunos tiveram um curso de como o atendimento é feito, quais são as tarefas do dia a dia e como funciona o Aeroporto. Como muitos deles nunca estiveram no aeroporto ou nunca viajaram, fizeram um tour pelo terminal onde puderam conhecer os bastidores, os serviços e visitaram o interior de uma aeronave.


Os estagiários começaram no Aeroporto de Brasília no dia 2 de dezembro em uma escala 4/2, ou seja, trabalham quatro dias seguidos e folgam dois. O último dia de trabalho será na semana que antecede o Natal, dia 20 de dezembro, um dos dias que promete ser o mais movimentado no Aeroporto. O Terminal brasiliense é o 3º maior aeroporto do Brasil em movimentação de passageiros.

Foto – Divulgação

Movimentação: 

A Inframerica estima para o mês de dezembro um fluxo entre 1,5 milhão a 1,6 de passageiros no Aeroporto de Brasília. A movimentação aérea esperada para todo o mês é de 10.706 pousos e decolagens, destes, 398 voos são extras para atender a demanda da alta temporada de verão.

Os dias de maior fluxo de passageiros devem ser 19, 20 e 21 de dezembro, vésperas das comemorações de Natal, e 27 e 28 de dezembro, saída para o Ano Novo. A Inframerica calcula para as datas um movimento diário de aproximadamente 59 mil passageiros.

As regiões mais procuradas são Nordeste e Sudeste do país. O movimento internacional também deve aumentar. A expectativa é de 70 mil embarques e desembarques no período.

Foto – Divulgação

 A APAE-DF

Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais do Distrito Federal (APAE-DF) existe desde 1964 e atende pessoas com deficiência intelectual acima dos 14 anos.

Os programas da Associação são voltados para a educação profissional, o desenvolvimento acadêmico, o atendimento sócio ocupacional, a inserção e o acompanhamento no trabalho, além de projetos de arte, esporte, cultura e lazer.

A entidade beneficia cerca de 750 pessoas por ano, entre profissionais com deficiência acompanhados no mercado de trabalho e aprendizes ainda em formação nas oficinas da entidade.

Além da sede, localizada na Asa Norte em Brasília, a Associação possui outras unidades de atendimento em Ceilândia, Sobradinho e Guará.