GOL Dourados

As obras do Aeroporto Regional Francisco de Matos Pereira, de Dourados, seguem dentro de um novo cronograma e com estimativa de conclusão no início de 2023. A informação é do ministro da Infraestrutura, Marcelo Sampaio, que visitou pessoalmente as obras hoje.

Mesmo debaixo de chuva, ele veio a Mato Grosso do Sul nesta sexta-feira (17) vistoriar as obras e foi recebido pelo governador Reinaldo Azambuja, na segunda maior cidade de Mato Grosso do Sul.

“Tivemos desafio com a terraplanagem. Encontramos aqui lençol freático na cabeceira. Isso dificultou um pouquinho o andamento da obra. O tempo também não tem ajudado porque essa obra de terraplanagem precisa de tempo firme para que a gente possa avançar. Acreditamos que no início do ano que vem a obra está pronta”, explicou o ministro.

A obra é executada pelo Exército Brasileiro ao custo estimado de R$ 72 milhões oriundos do FNAC (Fundo Nacional de Aviação Civil) e contempla reforma e ampliação da pista de pouso e decolagens em 300 metros, além da regularização das faixas de pista e áreas de segurança, drenagem, colocação de cerca operacional e trabalhos de terraplenagem das áreas destinadas às futuras edificações.

“Neste aeroporto são R$ 49 milhões e tem um reequilíbrio no contrato fechado em quase R$ 75 milhões, nessa obra”, disse Marcelo Sampaio. A diferença no valor se deve ao aumento de custo de materiais.

Além desses investimentos, o governo do Mato Grosso do Sul abriu o processo licitatório para contratação de outras obras no Aeroporto de Dourados. A licitação contempla, nesta primeira etapa, a elaboração de projeto executivo de arquitetura e complementares para a construção das edificações do aeródromo, como o novo terminal de passageiros.

Reinaldo Azambuja destacou a importância da modernização da pista para o desenvolvimento e integração regional.

“Quando você amplia os aeródromos regionais, fortalece a economia. Assim que entregar a pista, os voos regionais retornam com ampliação. Já tem procura de novas empresas aéreas que querem trazer voos regionais e isso é bom porque dinamiza a economia e amplia o ir e vir das pessoas”, disse o governador.

 

Via: Governo do Mato Grosso do Sul