(Reuters) – A agência espacial russa, Roscosmos, acusou o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de criar uma base para o país tomar para si outros planetas depois de assinar uma ordem detalhando a política norte-americana para mineração comercial no espaço.

A ordem executiva, que a Roscosmos disse que prejudica a cooperação internacional no espaço, foi assinada na véspera.

O documento afirma que os Estados Unidos vão negociar “acordos conjuntos e arranjos bilaterais e multilaterais com outros Estados sobre operações seguras e sustentáveis para o público e recuperação privada e uso de recursos do espaço”.
 

O texto afirma que cidadãos dos EUA têm o direito de se engajarem em tais atividades e que “o espaço é um domínio legalmente e fisicamente único da atividade humana, e os EUA não o consideram como um bem comum global”.

A Roscosmos afirmou que a ordem executiva coloca os EUA em confronto com a noção de que o espaço pertence a toda a humanidade.
 

“Tentativas de expropriar o espaço e planos agressivos para realmente conquistar territórios de outros planetas dificilmente contribuem para a cooperação frutífera entre os países”, afirmou a Roscosmos.

O porta-voz do Kremlin Dmitry Peskov afirmou a jornalistas que “qualquer tipo de tentativa de privatizar o espaço de uma forma ou outra – e eu acho difícil de dizer agora se isso pode ser considerado como uma tentativa de privatizar o espaço – seria inaceitável”.

 

DEIXE UMA RESPOSTA