Air Canada se despede do Boeing 767, após 38 anos na frota

Nesta última terça-feira a Air Canada se despediu do Boeing 767, que abandonou as operações na frota da companhia, após cumprir o voo AC439 de Montreal para Toronto.

A companhia operava com o Boeing 767 desde outubro de 1982, quando a fabricante norte-americana entregou um 767-200 de matrícula C-GAUB para a aérea canadense, voando por mais de 20 anos na frota da companhia.

Entre 1982 e 1996, a Air Canada tomaria posse de mais 25 aviões 767, com as primeiras variantes de alcance estendido chegando em 1984. Quando a Air Canada se fundiu com a Canadian Airlines em 2001, outros 23 desses aviões se juntariam à frota.

Os 767s da Air Canada fizeram história quando o primeiro serviço telefônico ar-solo de uma companhia aérea canadense foi oferecido em 9 de fevereiro de 1986, durante o AC915, entre Miami e Toronto. Também em fevereiro de 1986, a nova Classe Executiva foi incorporada nos 767.

A companhia já estava planejando a aposentadoria total do 767, mas a atual crise fez em maio a Air Canada decidir pela aposentadoria completa e antecipada da frota.

Curiosidades:

  • O Boeing 767 de matrícula C-FCAE registrou mais de 138000 horas de voo antes de ser aposentado em 1 de agosto de 2019, tornando-o líder mundial em termos de horas de voo para esse modelo de aeronave. O Boeing 767 citado foi vendido no final do ano passado para outra companhia aérea que atualmente a está convertendo para operações de carga.
  • O 767 foi inicialmente projetado para ser operado com uma tripulação de até três pilotos. Embora os primeiros 767 da Air Canada tivessem um convés de voo extra-grande, eles foram configurados para serem operados por dois pilotos.
  • O 767 foi o primeiro avião a receber a aprovação ETOPS (operações estendidas de dois motores) de 120 minutos, o que significa que poderia operar a duas horas do aeroporto mais próximo, tornando as travessias oceânicas mais eficientes. Isso foi aumentado para 180 minutos em 1988.
  • A Air Canada voou com 23 aeronaves B767-200 e -200ER (versão de alcance estendido), com essa variante sendo aposentadas em 2008. A maioria dessas aeronaves estava estacionada no deserto de Mojave, Califórnia, e algumas em Roswell, Novo México.
  • Alguns 767 foram adaptados com winglets para melhorar a eficiência de combustível. Os winglets têm 11 pés de altura e reduzem o arrasto, aumentando a sustentação no final das asas e reduzindo o consumo de combustível, ajudando os aviões a cortarem o ar com mais eficiência.
  • Na frota da Air Canada, o Boeing 767 tem capacidade para 24 pessoas na Classe Executiva e 187 na Economy. A aeronave tem um alcance de 10549 quilômetros a uma altitude de cruzeiro de até 41000 pés e uma velocidade de cruzeiro de 853 quilômetros por hora. A capacidade de carga na barriga é de no máximo 14800 kg.
  • O voo sem escalas mais longo programado pelo Air Canada com o 767 foi de Toronto para Tóquio, que durou 13h45 e percorreu 10324 quilômetros.

 

DEIXE UMA RESPOSTA