Air China solicita autorização para realizar voos domésticos nos EUA

A Air China está buscando permissão para operar voos domésticos nos Estados Unidos. As rotas, que não estariam abertas à venda, permitiriam à transportadora chinesa manter seu número de destinos enquanto reduz a capacidade.

O pedido da Air China vem depois de uma crise na aviação chinesa, causada pelo Coronavírus, diminuindo a demanda por voos domésticos e internacionais.

De acordo com o site de aviação Sam Chui , a Administração de Aviação Civil da China pediu às transportadoras chinesas que mantenham rotas abertas, a menos que tenham sido proibidas por outra autoridade de aviação. 

Por determinação de diversos governos, para a Air China isso significaria o cancelamento dos voos para:

  • Houston;
  • Los Angeles;
  • Nova York (JFK e EWR);
  • São Francisco;
  • Washington.

Obviamente, houve uma enorme queda na demanda, pois cidadãos não-americanos estão proibidos de entrar nos EUA dentro de 14 dias de qualquer viagem à China.

Além disso, os aeroportos de Houston, Washington e Newark não estão abertos para pousos de voos provenientes da China. Em vez de operar apenas voos meio vazios para três destinos, no entanto, a Air China deseja operar apenas dois voos, mas para quatro destinos.

 

Pequim – São Francisco – Los Angeles

A primeira rota que a Air China propõe operar como um voo com escalas é de Pequim para São Francisco, com quatro frequência semanais a partir de 11 de fevereiro, se aprovado.


Normalmente, nesses vos nos Estados Unidos, todos os passageiros devem passar pela imigração antes de continuar. Não está claro se a Air China obteria uma isenção para permitir que os passageiros de Los Angeles permanecessem a bordo da aeronave.

 

Pequim – Nova York – Washington

A segunda rota proposta pela Air China faria com que todos os passageiros tivessem que desembarcar no primeiro ponto de entrada nos Estados Unidos. 

O voo operaria de Pequim para Washington via Nova York. No entanto, Washington não é um aeroporto designado para lidar com chegadas internacionais, de passageiros que viajaram recentemente para a China.

Desta forma, é possível que os passageiros precisem desembarcar em Nova York, e depois de examinados, entrar novamente no avião da Air China rumo à Washington.

 

Como afirmado antes, a Air China não venderia os trechos São Francisco – Los Angeles, e Nova York – Washington.

DEIXE UMA RESPOSTA