Boeing 787 Air France
Foto - Air France/Divulgação

A Air France está retomando sua ligação para o 3º destino brasileiro, com voos entre Fortaleza (CE) e Paris, na França. As operações serão realizadas três vezes por semana com o Boeing 787-9 da companhia, que tem capacidade para 276 passageiros.

O primeiro voo tem programação para pousar 17h30, porém, de acordo com o FlightRadar 24 está atrasado. 

Com os voos, a Air France poderá levar a bordo mais de 1000 clientes por semana entre o Ceará e a França. A companhia ainda tem ainda operações de Paris para o Rio de Janeiro e São Paulo, totalizando 15 frequências entre o Brasil e a Europa.

Veja os voos na tabela abaixo:

A Air France destaca que, por conta do atual contexto sanitário, revisa constantemente suas operações e malha aérea em todo o mundo, adaptando-as às restrições de viagem e à demanda de clientes. Portanto, sua malha está sujeita à alterações.

Veja mais em www.airfrance.com.br

 

O Boeing 787 Dreamliner da Air France

787-9 da Air France

A Air France recebeu no fim de 2016 o primeiro Boeing 787-9 da sua frota.

A nova aeronave oferece muitos benefícios, como WiFi a bordo, janelas aproximadamente 30% mais largas do que em aeronaves similares e três classes para os passageiros, Business (30 assentos), Premium Economy (21 assentos) e Economy (225 assentos).

Os assentos da Premium Economy serão 2,5 cm mais largo, com almofadas mais confortáveis e parte inferior do encosto reforçada, têm mais espaço para as pernas e aumento de 5 cm entre a distância das poltronas. A estrutura de assentos será fixa, item popular ente os viajantes da companhia, que desfrutarão de melhor qualidade no sono com reclinação de 130° da poltrona, mais espaço entre assentos com apoio de braço 2,55 cm mais largo e mesa que possibilita aos passageiros manter seus livros ou tablets retos.

Por ser um Dreamliner, o primeiro 787 da Air France tem ainda outras vantagens, alinhadas com preocupações globais envolvendo sustentabilidade. O consumo de combustíveis é reduzido em 20% comparado com modelos anteriores da aeronave e há uma redução significativa nas emissões de CO2.

 

DEIXE UMA RESPOSTA