Boeing 777 Air New Zealand
Foto: Max Kingsley-Jones

A companhia aérea Air New Zealand poderá estar se desfazendo do Boeing 777-300ER a partir de 2023. A possibilidade foi levantada pela própria companhia aérea, ainda se trata de apenas uma possibilidade, tanto que a companhia disse que irá definir o futuro do avião nos próximos meses. 

Atualmente a frota de Boeing 777 da Air New Zealand é de 15 aeronaves, sendo 8 da versão -200 e 7 da versão -300ER. Todas as 15 aeronaves estão sem voar, deixando apenas o Boeing 787 como alternativa para os voos longos.

Devido as grandes restrições de viagem, a Air New Zealand deu preferência a um modelo menor e talvez um pouco mais econômico em rotas onde o 777-300 operava. A empresa disse que não tem preocupações por pelo menos 12 meses, pois tem uma frota capaz de operar dentro das limitações que a demanda atual proporciona. 

Durante um Briefing com investidores, o presidente da Air New Zealand disse que não há como prever como o mercado internacional irá permitir o aumento do número de voos. Segundo o presidente o foco da empresa é garantir a eficiência operacional.

Alguns especialistas dizem que o mercado internacional voltará a ficar aquecido devido a vacinação que já ocorre no mundo inteiro. Alguns países tem um ritmo mais lento, entretanto não deverá afetar a estimativa.

A companhia aérea irá avaliar o cenário nos próximos anos, e isso poderá ser primordial para a definição da frota de longo curso da empresa. Pois atualmente os Boeings 787 são mais eficientes e mais rentáveis de se operar do que os 777-300ER, mesmo com uma capacidade ligeiramente inferior.