A polêmica pintura do Beluga XL, com uma máscara exagerada nas janelas do cockpit, foi revelada hoje na primeira aeronave de produção, ao sair do hangar de pintura em Toulouse, na França.

A pintura, que remete a uma baleia Beluga, foi eleita com 40% dos votos a favor, entre seis opções em uma pesquisa que incluiu 20 mil funcionários da Airbus. 

A Airbus ressaltou que o desenvolvimento do Beluga XL continua com uma antecipação em relação ao prazo estipulado, dessa forma a aeronave fará seu primeiro voo ainda no verão europeu de 2018.

Boa parte dos testes em solo, publicados aqui na Aeroflap, já foram finalizados pela Airbus, e os resultados colaboraram para entender melhor o funcionamento do avião durante o voo.

A campanha de certificação durará 10 meses, de acordo com a Airbus.

 

O Beluga XL

O Beluga XL foi lançado em novembro de 2014 para atender aos requisitos de capacidade de transporte para a Airbus, focando os anos após 2019. Para isso a Airbus usou uma plataforma já existente, o cargueiro A330-200F, o anterior era derivado do A300-600, um avião que já saiu de linha há anos. O Beluga XL tem seis metros de comprimento a mais, um metro a mais de largura e um elevador de carga com capacidade para seis toneladas , isso comparando com a geração atual.

Quando operacional, a frota de cinco aviões do modelo Beluga XL irá assumir o transporte de seções completas de aeronaves da Airbus entre os locais de produção da empresa em toda a Europa, e as linhas finais de montagem na França, Alemanha e Espanha.

O primeiro dos cinco aviões Beluga XL voará no verão de 2018, e entrará em serviço em 2019.