A Airbus disse nesta terça-feira que descobriu imprecisões em seus registros para os reguladores norte-americanos sobre as vendas de tecnologia bélica, envolvendo os Estados Unidos pela primeira vez em um escândalo sobre alegada má conduta da maior empresa aeroespacial da Europa.

A Airbus também advertiu sobre multas potencialmente significativas resultantes de investigações de suborno no Reino Unido e na França sobre o uso de intermediários nas vendas de aviões civis, o que provocou uma ampla investigação interna.

A companhia, porém, disse que era muito cedo para estimar o tamanho ou o momento de qualquer penalidade europeia, ou o resultado das novas descobertas dos EUA.

As ações do grupo de avião civil e defesa subiram mais 4% depois que a Airbus apresentou uma queda menor do que a esperado nos lucros do terceiro trimestre, apesar de atrasos em entregas.

No entanto, os ganhos foram ofuscados pela notícia de que a própria Airbus descobriu imprecisões em registros anteriores entregues ao Departamento de Estado norte-americano sobre exportações de tecnologia de defesa.

A descoberta envolveu declarações imprecisas feitas pela Airbus sob uma seção do Regulamento de Tráfego Internacional de Armas nos EUA (ITAR, na sigla em inglês), que rege o uso de comissões e agentes.

A Airbus disse que as falhas foram descobertas pela primeira vez durante uma auditoria no final de 2016 e foram confirmadas em uma revisão interna de acompanhamento concluída no terceiro trimestre.

O diretor de finanças Harald Wilhelm disse que a empresa europeia não divulgou nenhum segredo sobre a tecnologia norte-americana e que a questão ficou restrita ao uso de agentes de vendas e comissões.

 

Via – Reuters