Os aviões Airbus A319neo e o Bombardier CS300 têm duas coisas em comum entre eles. A primeira é a capacidade de passageiros, ambos podem transportar cerca de 150; A segunda é que esses aviões agora pertencem à mesma empresa, depois da Airbus comprar uma participação majoritária no programa CSeries.

O problema dessas duas coisas em comum se resulta no A319neo, menos eficiente em comparação com o CS300, ele só acumulou 30 encomendas, mesmo assim a Airbus continua com o programa de certificação da aeronave. A seu favor está a comunalidade com as aeronaves da família A320neo, um piloto de A321neo pode pilotar um A319neo, através de um treinamento integrado.

E por esses recursos o presidente-executivo da Airbus, Tom Enders, disse que conseguiu aumentar um pouco as encomendas do A319neo nos últimos dias, através de um cliente da China ainda não divulgado.

Airbus A319neo.

Mas mesmo assim ele reconheceu que o CS300 é uma aeronave mais atrativa, mesmo com uma diferença radical em relação à família A320neo. A empresa ainda está esperando alguns clientes que possam converter as encomendas para o CS300.

“Vamos ver como esses dois aviões se comportam nas encomendas”, disse Tom Enders.

Buscando uma eficiência maior, os aviões regionais cresceram de tamanho com a última geração, o E195 teve sua capacidade máxima alterada de 124 assentos para 146, a Bombardier seguiu a mesma filosofia e já projetou o CSeries como um avião maior, com configuração 2-3 na classe econômica e capacidade para até 160 assentos na versão CS300.

Configuração 2-2 na Executiva e 3-2 na Econômica. Foto – Bombardier

Um CS300 tem seu peso operacional de aproximadamente 37 toneladas, enquanto o A319neo pesa 47,1 toneladas.

 

Via – FlightGlobal

Texto – Aeroflap