Foto - Virgin Australia

Em 2015, um Airbus A320 da Virgin Australia se envolveu em um incidente ocorrido por problemas nos sistemas autothrust (controlador automático da potência dos motores) e autopilot (piloto automático) que subitamente desligaram, e vários alertas foram gerados no ECAM.

O órgão responsável pela investigação, o ATSB, descobriu que os bloqueios nos orifícios de drenagem nas sondas de pitot do A320 faziam com que a água ficasse presa no sensor, o que retornava dados errados sobre a velocidade relativa da aeronave.

O sistema da aeronave detectava esse erro na leitura de dados, o que neste caso levou à desativação dos controles automáticos de potência e direção.

“As velocidades errôneas não foram detectadas pela tripulação de voo, mas foram detectadas pelo sistema, resultando na desconexão do autothrust e do piloto automático, e na geração de múltiplos alertas, incluindo um alerta NAV ADR DISAGREE”, afirma o ATSB.

Na análise do órgão, o sistema do avião listou a falha de erro na leitura de velocidade através dos tubos de pitot, mas não deixou essa falha como uma prioridade de informação aos pilotos, o que poderia levar à erros de interpretação do problema caso o defeito necessitasse de uma solução rápida.

O alerta NAV ADR DISAGREE aponta para a tripulação que uma verificação fosse realizada para certificar uma discrepância nos dados, através da verificação cruzada das três indicações de velocidade no ar, determinando se há um problema de leitura da velocidade do ar ou do ângulo de ataque do avião.

O alerta foi gerado, como citado no penúltimo parágrafo, mas foi ocultado por outros vários alertas de erros no avião.

Desde então a Airbus trabalhou no caso, e relatou à ATSB que aumentaria a prioridade do alerta NAV ADR como parte de uma atualização mundial para o sistema de alerta de voo, que estava previsto para ser lançado no primeiro trimestre de 2019.

A Airbus realizou alterações substanciais no sistema ECAM, priorizando as falhas mais graves ou que ajudassem na solução rápida de algum problema. 

A ATSB se pronunciou em resposta a Airbus dizendo que “acrescenta que está convencido de que a Airbus abordou adequadamente os problemas de segurança”.

O relatório final foi lançado no dia 04 de abril, após a Airbus apresentar a solução do problema para o ATSB.

 

O que aconteceu durante o voo

O Airbus A320 da Virgin Australia Regional Airlines, de registro o VH-FNP, estava cruzando a altitude de 8.500 pés após decolar do Aeroporto de Perth, quando o sistema de autothrust e o piloto automático foram desconectados e vários alertas foram gerados.

A tripulação de voo continuou a subida para uma altitude de 20.000 pés, onde eles nivelaram para solucionar os problemas antes de retornar até Perth. 

Durante a aproximação, quando a tripulação de voo estava alinhando a aeronave com o sistema de aterrissagem por instrumentos (ILS), eles receberam um aviso de estol. O aviso parou depois de seis segundos e os pilotos continuaram prosseguindo para um pouso bem-sucedido.