(Reuters) – A Airbus está estudando um corte acentuado na produção da família de aeronaves A320, a mais vendida da fabricante, diante dos desafios industriais e de entrega apresentados pela crise do coronavírus, disseram quatro pessoas familiarizadas com o assunto.

A Airbus pode ter que cortar em até metade sua produção mensal de 60 jatos da família A320 durante um ou dois trimestres, disseram duas pessoas, para evitar um excesso de jatos não entregues.

Os fornecedores foram solicitados a reduzir o fluxo de peças em 40%, a uma taxa compatível com a produção de 36 jatos por mês no curto prazo, disse uma das fontes.

Espera-se uma decisão final antes da reunião de acionistas da empresa em meados de abril.

A Airbus disse em comunicado que “está monitorando de perto a situação da evolução do Covid-19 em todo o mundo e está em constante diálogo com … clientes, fornecedores e parceiros institucionais”.

“A Airbus está avaliando as implicações da pandemia em suas operações e as possíveis medidas de mitigação que podem ser implementadas. A empresa não fará comentários adicionais neste momento.”

A Airbus, antes do início da crise, plenejava aumentar a produção da família A320 para 63 jatos por mês no próximo ano e adicionar mais 1-2 aviões por mês em 2022 e 2023.


Esses planos foram arquivados, disseram as fontes. A empresa suspendeu a perspectiva para suas entregas a curto prazo de 2020 no mês passado.

DEIXE UMA RESPOSTA