A Airbus está bastante avançada no processo de construção dos cinco aviões Beluga XL, que serão responsáveis por compor a frota de transporte da empresa nos ´róximos anos.

O trabalho de montagem final do segundo Beluga XL já começou, enquanto isso a Airbus está instalando os motores na primeira unidade. Apesar dessa avanço, quem voará primeiro transportando componentes será o segundo Beluga XL.

Essas duas aeronaves entrarão na frota em 2019, de acordo com a Airbus, e depois a empresa colocará uma por ano até 2022, quando completar os 5 novos Beluga XL. Em algum momento a Airbus planeja operar simultaneamente com 8 Belugas, sendo cinco da geração anterior, baseada no A300-600.

A empresa ainda não sabe o que fará com as aeronaves antigas, mas declarou que são aviões com poucos ciclos, e de serviço totalmente cargueiro para atender a fábrica.

Foto – Airbus/Divulgação

Enquanto isso a Airbus corre para certificar o Beluga XL, o primeiro avião produzido, de numeração MSN1824, passará por testes em solo e no sistema de combustível nas próximas duas semanas, a Airbus já realizou com sucesso testes no sistema de pouso e nos controles de voo, o próximo passo depois desses testes é o primeiro voo.

Em média a frota de Beluga é utilizada cinco vezes em um dia, de segunda-feira a sábado.

O Beluga XL foi lançado em novembro de 2014 para atender aos requisitos de capacidade de transporte para a Airbus, focando os anos após 2019. Para isso a Airbus usou uma plataforma já existente, o cargueiro A330-200F, o anterior era derivado do A300-600, um avião que já saiu de linha há anos. O Beluga XL tem seis metros de comprimento a mais, um metro a mais de largura e um elevador de carga com capacidade para seis toneladas , isso comparando com a geração atual.

Quando operacional, a frota de cinco aviões do modelo Beluga XL irá assumir o transporte de seções completas de aeronaves da Airbus entre os locais de produção da empresa em toda a Europa, e as linhas finais de montagem na França, Alemanha e Espanha.

 

Via – FlightGlobal