Agora o Airbus A350-1000 pode comportar até 480 passageiros, um aumento de 40 assentos em comparação com a restrição anterior, causada pelas saídas de emergência da aeronave.

O projeto da Airbus não era fazer uma aeronave com tamanha capacidade de passageiros, aliás, poucas companhia utilizam um avião desse porte com mais de 400 assentos.

Porém, companhias aéreas do sudeste asiático, que sofrem com a limitação de slots de operação, estão optando por aeronaves A330-900neo com 440 assentos, baixando bastante o custo de cada passageiro transportado e aumentando muito a receita da companhia aérea.

Escorregador (slide) duplo, para uso em aviões widebody.

Para criar uma versão de 480 assentos a Airbus precisou desenvolver uma nova saída ‘Tipo A+’, com um escorregador de evacuação de pista dupla, aumentando a evacuação de passageiros no mesmo segundo. A exigência é que todos os passageiros consigam sair da aeronave, em 90 segundos, com apenas metade das portas operantes.

A saída Tipo A+ pode ser adaptada em cada porta, acrescentando 10 assentos de capacidade extra no A350-1000. Com isso, o A350-1000 também pode receber outras capacidades máximas, como 460 e 470.

Airbus A321neo com escorregadores single e double.

A EASA afirma que o número mínimo de tripulantes de cabine necessário aumenta para nove se o número máximo de assentos exceder 400, acrescentando que um terceiro membro da tripulação de cabine deve estar disponível para cada par de escorregadores do tipo A+ instalado nas saídas de emergência.

Essas saídas modificadas também foram usadas pela Airbus para aumentar a acomodação máxima dos A330-900 para 460 assentos.


Essa versão é cerca de 7 metros maior do que o atual -900XWB, isso equivale a cerca de 41 assentos a mais para esse avião, são 366 assentos quando configurado em 3 classes ou 440 em configuração de alta densidade.

O A350-1000 possui um novo trem de pouso principal de seis rodas, para suportar melhor o maior peso do novo jato. No A350-900 só há 4 rodas por trem de pouso principal.

As asas do A350-1000 têm uma prolongação do bordo de fuga, que aumenta a área em 4%, comparando com o A350-900. Isso gera maior sustentação e diminui as velocidades críticas de decolagem e pouso.

 

Veja abaixo um procedimento de evacuação de emergência no Boeing 777, o concorrente do A350: