Airbus Hidrogênio Hydrogen

A fabricante europeia Airbus, vai criar duas novas fábricas no continente voltadas a produzir tanques criogênicos para o armazenamento de hidrogênio. A fabricante batizou o projeto de “Centros de Desenvolvimento de Emissão Zero”.

As fábricas serão instaladas em Bremen na Alemanha e outra em Nantes na França, com o objetivo de lançar futuramente aeronaves com emissões zero em carbono movidas a hidrogênio. 

Para que o hidrogênio seja armazenado com segurança em uma aeronave, necessita estar a uma temperatura de -250ºC, ou com temperaturas menores mas com altíssima pressão. Para manter armazenado nos futuros aviões, a fabricante precisa realizar a integração dos tanques criogênicos.

“Para a aviação comercial, o desafio é desenvolver um componente que possa suportar ciclos térmicos e de pressão repetidos que uma aplicação de aeronave exige”, disse a Airbus.

As primeiras instalações estão previstas para serem inauguradas em 2023, para que em 2025, dois anos depois, possa realizar o primeiro voo de teste. 

Com planos para lançar a primeira aeronave comercial ZEROe do mundo até 2035, a Airbus afirma que as aeronaves ainda iriam depender de motores a jato convencional até pelo menos 2050. 

“As aeronaves de emissão de hidrogênio serão focadas principalmente em aeronaves regionais e de curto alcance a partir de 2035. O que significa que as iterações atuais e futuras de turbinas a gás altamente eficientes ainda serão necessárias à medida que avançamos em direção a 2050, especialmente para operações de longo curso.” 

O governo da França anunciou nesse mês que vai investir € 1,5 bilhão durante três anos para o projeto “descarbonização do tráfego aéreo mundial”. O Ministro da Economia da França Bruno Le Maire, acredita que em 2035 já poderá ter uma aeronave neutra em carbono porém especialistas dizem que somente em 2050 isso será possível. 

 

Fonte: Aerotime