Foto - Airbus

Muitas empresas do setor de aviação negam, mas as vendas com grandes descontos são comuns nessa área, então na tabela é comum encontrar um preço bastante alto, que depois irá se reduzir bastante, pelo menos em 20%.

Essa é uma manobra que possibilita a negociação em um setor onde a concorrência não é tão acirrada, mas incomoda bastante, pois geralmente o dinheiro perdido por uma venda não realizada é alto.

Isso tudo surgiu pois no final de 2017 a Airbus tinha 997 bilhões de euros de aviões esperando para serem produzidos, com base nos preços de catálogo, mas os investidores queriam saber qual a real receita da empresa para os próximos anos.

A Airbus disse que ia incluir os resultados na declaração do primeiro trimestre de 2018, mas isso não ocorreu.

E a Airbus precisou confirmar isso parcialmente aos investidores na última sexta-feira (27/04), quando apresentou os seus resultados financeiros do primeiro trimestre de 2018.

“Vamos divulgar o backlog completo em valor o mais tardar nos nossos resultados de 2018”, explicou um porta-voz da Airbus, acrescentando que isso refletiria em uma “minimamente na receita futura”.

Traders e banqueiros dizem que uma aeronave normalmente é vendida por não mais que a metade do preço de tabela. Então de um Airbus A320neo custa cerca de US$ 110 milhões a preço de tabela, o valor final de venda para uma grande encomenda pode ser de US$ 66 milhões.

As companhias aéreas e as fabricantes não declaram os reais valores que pagam nas suas aeronaves, geralmente declaram o leasing ou a parcela do financiamento, mas dificilmente o valor fechado.

Na há motivos para temer essa prática, ela também é realizada por outras empresas do mesmo setor, como a Boeing, na mesma proporção. No final o que vale é o relacionamento de longo prazo com os clientes, que sustentam a fabricante de aviões por várias décadas.

Enquanto as empresas caminham para uma declaração completa, incluindo os descontos, da sua perspectiva de receitas com base no backlog (encomendas totais de aeronaves), os negócios individuais continuarão sendo protegidos para preservar uma possível concorrência ainda mais acirrada.

Detalhe, nesse processo todo a Boeing já declara o valor da sua carteira de pedidos com os descontos aplicados, mas como dito no parágrafo acima, os negócios individuais continuam como um mistério.

 

Via – Reuters