Projeção do terminal UltraAir. Imagem: Airbus.

A Airbus e a Organização Holandesa de Pesquisa Científica Aplicada (TNO) irão desenvolver um satélite demonstrador de terminal de comunicação a laser para aeronaves, conhecido como UltraAir.

O projeto, financiado através de parceria da Airbus TNO e o Netherlands Space Office (NSO), faz parte do programa ScyLight (Secure and Laser Communication Technology) da Agência Espacial Européia (ESA).

O investimento cobre o design, construção e teste do demonstrador de tecnologia. As tecnologias de comunicação a laser são a próxima revolução nas comunicações por satélite, trazendo taxas de transmissão, segurança de dados e resiliência sem precedentes para atender às necessidades comerciais na próxima década.

O terminal UltraAir será capaz de realizar conexões a laser entre uma aeronave e um satélite em órbita geoestacionária a 36.000 km acima da Terra, com tecnologia inigualável, incluindo um sistema mecatrônico óptico de alta estabilidade e precisão, disse a Airbus na última quinta-feira (08). 

O demonstrador de tecnologia abrirá o caminho para um futuro produto UltraAir com o qual as taxas de transmissão de dados podem chegar a vários gigabits por segundo, ao mesmo tempo em que fornece anti-bloqueio e baixa probabilidade de interceptação. 

Desta forma, o satélite UltraAir não só permitirá que aeronaves militares e veículos aéreos não tripulados se conectem dentro de uma nuvem de combate, mas também, a longo prazo, permitirá que os passageiros das companhias aéreas estabeleçam conexões de dados de alta velocidade graças à constelação SpaceDataHighway da Airbus. 

Como parceiro-chave do projeto, a TNO oferece sua experiência em opto-mecatrônica de alta precisão, apoiada pela alta tecnologia holandesa e indústria espacial. A Airbus Defense and Space da Holanda será responsável pela produção industrial dos terminais. A Tesat, subsidiária da Airbus, traz sua experiência técnica em sistemas de comunicação a laser e estará envolvida em todas as atividades de teste.

Os primeiros testes ocorrerão no final desse ano em condições de laboratório na Tesat. Numa segunda fase, os testes de solo terão início no início de 2022 em Tenerife (Espanha), onde será estabelecida a conectividade entre um demonstrador UltraAir e o terminal de laser embarcado no satélite Alphasat usando a Estação Terrestre Ótica da ESA. 

Para a verificação final, o demonstrador UltraAir será integrado em uma aeronave para teste de vôo em meados de 2022. Como a demanda por serviços de satélite está crescendo, as bandas de radiofrequência de comunicação por satélite tradicionais estão enfrentando gargalos. 

Os links de laser também têm a vantagem de evitar interferência e detecção, pois em comparação com as já existentes frequências de rádio, a comunicação de laser é extremamente difícil de interceptar devido a um feixe muito mais estreito. Assim, os terminais de laser podem ser mais leves, consumir menos energia e oferecer segurança ainda melhor do que o rádio.