Airbus e Rolls-Royce desistem de projeto híbrido E-Fan X

A Airbus e a Rolls-Royce anunciaram recentemente a suspensão do programa E-Fan X, para estudo de soluções de propulsão híbrida em aeronaves.

O projeto do E-Fan X contaria com uma aeronave BAE Systems Avro RJ100, que seria equipada com sistemas de propulsão híbrida, e utilizada em testes reais, em voo.

No Avro RJ100 um dos quatro motores a jato seria substituído por um motor de 2 MW, fabricado pela Rolls-Royce. Outras modificações no BAe 146 RJ100 incluiam a adição de grandes trocadores de calor montados externamente para sistemas de refrigeração líquida, bem como entradas e saídas do sistema de geração de energia montado na fuselagem.

“Como em todos os projetos inovadores [de pesquisa], é nosso dever avaliá-los e priorizá-los constantemente para garantir o alinhamento com nossas ambições”, disse a diretora de tecnologia da Airbus, Grazia Vittadini. “Essas decisões nem sempre são fáceis. Mas, sem dúvida, são necessários para manter o curso.”

O primeiro voo do protótipo estava programado para 2021, e todo o desenvolvimento até então estava sendo realizado em Toulouse, na França.

De acordo com a Airbus, a interrupção no desenvolvimento da tecnologia é temporária, enquanto as duas empresas enfrentam a crise do coronavírus, que afeta todo o setor de aviação no mundo.

A intenção das três empresas era clara, colocar em prova um motor elétrico de alta potência, para saber qual é o comportamento térmico do motor, bem como a propulsão gerada em uma altitude de cruzeiro simples, para o voo regional. A Airbus, juntamente com a Siemens, já aprendeu bastante com os conceitos Cri-Cri Elétrico, e-Genius, E-Star e o E-Fan, mas todos esses aviões usaram motores à hélice de baixa potência.


 

DEIXE UMA RESPOSTA