Airbus GMF faz previsão de triplicação de frota de aeronaves na região dos Emirados Árabes

Foto - Emirates/Divulgação

De acordo com a Airbus Global Market Forecast (GMF), as frotas das companhias aéreas de todas as regiões que atendem os Emirados Árabes devem triplicar para cerca de 1.730 aeronaves até 2038, atualmente a frota é de 630 aeronaves.

Isso inclui 750 aeronaves da categoria pequena como o A320 e o A321, e 980 aeronaves médias e grandes como o A330 e o A350, que atenderão ao mercado dos Emirados Árabes Unidos nas próximas duas décadas; prevê-se que o tráfego de passageiros dos Emirados Árabes Unidos em P&D cresça 5,6% ao ano nos próximos 20 anos.

Na região do Oriente Médio, o tráfego aéreo de passageiros deve crescer a uma taxa de 5,6% ao ano, muito acima da média global de 4,3% ao ano. No mesmo período, o tráfego global de mercadorias registrará um aumento anual de 3,6%, em linha com o crescimento médio do tráfego global de mercadorias. Isso estimulará um requisito para cerca de 3.200 aeronaves, dentre um requisito global de 39.210 novas aeronaves de passageiros e mercadorias.

Hoje cinco das megacidades mundiais da aviação estão no Oriente Médio, com duas em Dubai e Abu Dhabi nos Emirados Árabes Unidos. Nos próximos 20 anos, esses números mais que dobrarão para onze, para incluir cidades como Muscat e Kuwait.

O turismo continuará sendo um setor de crescimento essencial para o Oriente Médio, com a aviação comercial um fator importante, com números do Conselho Mundial de Viagens e Turismo indicando que a contribuição do turismo para o PIB do Oriente Médio é hoje de quase 9%.

À medida que a rede e o tráfego de aviação continuam se desenvolvendo na região do Oriente Médio, a Airbus prevê a necessidade de mais de 50.000 novos pilotos e quase 52.000 novos técnicos de manutenção nos próximos 20 anos.

O mercado de serviços de aviação comercial como um todo é avaliado em cerca de US$ 515 bilhões nos próximos 20 anos na região, principalmente em serviços que otimizam e mantêm a disponibilidade de aeronaves, como manutenção, gerenciamento de materiais, treinamento de técnicos e atualizações do sistema. Seguidos pelos serviços de operações de voo incluindo treinamento de pilotos ou soluções de gerenciamento de tráfego aéreo e, finalmente, serviços de passageiros, como atualizações de cabine, conectividade e emissão de bilhetes.


DEIXE UMA RESPOSTA