O novo Flightlab. Foto: Airbus/Divulgação.

A Airbus Helicopters apresentou o Flightlab, seu novo helicóptero de testes. A aeronave baseada no H130 será empregada como um laboratório voador para testar e amadurecer tecnologias de nova geração para equipar os atuais helicópteros da fabricante e até mesmo futuras plataformas de asa fixa ou eVTOL (aeronaves elétricas de pouso e decolagem vertical). 

A Airbus seguirá com os testes de tecnologias de propulsão híbrida e elétrica com o novo demonstrador, além de buscar o desenvolvimento de de tecnologias destinadas a redução de ruído e melhorias na segurança de voo e manutenção. 

“Investir no futuro continua sendo essencial, mesmo em tempos de crise, especialmente quando essas inovações agregam valor aos nossos clientes, visando maior segurança, redução da carga de trabalho do piloto e redução dos níveis de ruído”, disse Bruno Even, CEO da Airbus Helicopters. 

Os testes com a nova aeronave iniciaram em abril do ano passado, quando o demonstrador foi usado para medir os níveis de ruído de helicópteros em áreas urbanas e para estudar particularmente como os edifícios podem afetar a percepção das pessoas. 

Os primeiros resultados mostram que os edifícios desempenham um papel importante no mascaramento ou amplificação dos níveis de som e esses estudos serão instrumentais quando chegar a hora de modelagem de som e definição de regulamentação, especialmente para iniciativas de Mobilidade Aérea Urbana (UAM).

Em dezembro foram feitos testes para avaliar o Rotor Strike Alerting System (RSAS), que visa alertar as tripulações sobre o risco iminente de colisão com os rotores principal e de cauda.

Os testes este ano incluirão uma solução de detecção de imagem com câmeras para permitir a navegação em baixa altitude, a viabilidade de um Sistema de Monitoramento de Saúde e Uso (HUMS) dedicado para helicópteros leves e um Sistema de Reserva de Motor, que fornecerá energia elétrica de emergência em no caso de falha da turbina. 


Os testes no Flightlab continuarão em 2022, a fim de avaliar um novo design ergonômico de controles de vôo do piloto intuitivos com o objetivo de reduzir ainda mais a carga de trabalho do piloto, que pode ser aplicável a helicópteros tradicionais, bem como outras fórmulas VTOL, como UAM.

Via Airbus