Foto - Divulgação

A Airbus iniciou os testes em voo das tecnologias de cabine conectadas à Internet das coisas (IoT) a bordo da aeronave A350-900 Flight Lab – a ser revelada em breve aos clientes.

Ao fazer isso, a Airbus se tornará a primeira fabricante de aeronaves a realizar esses testes de voo de cabines conectadas. A plataforma, conhecida como Airspace Connected Experience, foi apresentada na APEX Expo no ano passado.

Ele dará início a uma nova experiência personalizada para os passageiros, e proporcionará oportunidades para melhorar as receitas auxiliares das companhias aéreas.

O Flight Lab é uma das aeronaves de teste de voo de certificação A350-900 original – MSN002 – e está equipada com um interior “Air Space”, que agora serve como a plataforma ideal para avaliar as novas tecnologias de conexão em voo.

A Airbus instalou um conjunto inicial de elementos de trabalho, para testar as novas funcionalidades.

As novas funcionalidades incluem protótipos do iSeat conectado (Recaro), da Connected Galley (gategroup), um sistema remoto de controle de gerenciamento de cabine sem fio, um grande display OLED e, o mais importante, a primeira etapa do novo “backbone IoT” da Airbus, que inclui uma plataforma de software aberta.

Todas essas inovações estão sendo testadas em voo – juntamente com outras a serem reveladas oportunamente aos clientes.


O ecossistema de cabines conectadas permitirá serviços adicionais para passageiros, companhias aéreas e tripulações. Seguem os exemplos possíveis:

– Os passageiros: Receberão uma experiência de viagem mais personalizada, específica para as necessidades e preferências individuais, com base nos dados disponíveis. Em particular, isso abrange pedidos pré estabelecidos, e remotos, de refeições preferidas, reserva de espaço, configuração de posições individuais de assentos, bem como uma lista de entretenimento no Sistema de Entretenimento feita sob medida.

– As companhias aéreas: Poderão gerar receitas adicionais por meio de vendas de serviços adicionais e propaganda, todos habilitados pela abordagem da IoT. Além disso, as companhias aéreas poderão melhorar sua eficiência operacional aplicando manutenção preditiva, evitando desperdícios e tornando os serviços da tripulação mais eficientes. Outras oportunidades podem ser facilmente criadas e aplicadas através de aplicativos.

– Os funcionários: Encontrarão um melhor ambiente de trabalho e ferramentas mais eficientes, ativadas digitalmente por dados em tempo real da plataforma IoT em toda a cabine. Um dispositivo móvel inteligente permitirá que as equipes monitorem e operem todos os componentes ao mesmo tempo, sem gerar um excesso de trabalho para os tripulantes a bordo.

 

*IoT = “Internet of Things” (A Internet das Coisas)