Airbus A320neo

A Airbus está prestes a fazer algumas alterações em aeronaves da família A320neo, incorporando tecnologias criadas durante o desenvolvimento do A321XLR.

Uma dessas tecnologias é substituir o controle mecânico do leme por um totalmente elétrico, retirando o acionamento por meios hidráulicos na parte do acionamento dos pedais.

O novo sistema vai funcionar utilizando a mesma arquitetura presente nos computadores fly-by-wire atual do A320 e do A320neo. Estes aviões contam com um conjunto de sete computadores, que trabalham com redundância, sendo alocados de acordo com o conjunto de superfícies aerodinâmicas.

O novo E-Leme substituirá a interface mecânica de acionamento dos pedais por uma elétrica. O novo componente, e a retirada de alguns, resultará em uma economia de peso na ordem de 40 kg, comparando com o sistema antigo.

A Airbus ressalta que vários acessórios serão removidos nas novas aeronaves, além de três computadores auxiliares do sistema de leme, que funciona atualmente separado dos sete computadores de Fly-By-Wire.

Além dos novos pedais, a Airbus também deve atualizar os sensores de posição do leme, bem como adicionar um módulo de controle reserva, como sempre, mantendo a redundância.

No sistema principal quatro computadores ficarão responsáveis pelo processamento e envio dos dados para os atuadores, sendo dois computadores que atualmente cuidam do sistema Aileron-Elevator, e dois que cuidam da parte spoiler-elevador. O módulo de controle reserva, bem menor e mais leve em comparação com os três computadores anteriores, fica como backup em caso de falha dos computadores principais.

Apesar de utilizar a mesma arquitetura, apenas adicionando novas funcionalidades, a Airbus disse que vai realizar atualizações no hardware e no software dos computadores de voo dos aviões da família A320neo, para acrescentar a nova função de receber e transmitir os comandos do leme.

A introdução desse novo sistema acontecerá em 2024, com implementação inicialmente prevista somente para aviões recém-fabricados.

 

Com informações de FlightGlobal.

Texto por Aeroflap.