Montagem de Aeronaves A320 no Alabama - EUA. Foto - Airbus

A Airbus possivelmente conseguiu fechar 2018 atingindo a sua meta de entregas, ou pelo menos chegando perto, após um esforço enorme da empresa para bater um recorde de entregas em dezembro.

A empresa já tinha realizado um outro esforço em novembro, quando entregou 89 aviões durante os 30 dias do mês, acumulando até então 673 entregas de aviões em 2018. Para finalizar na meta de 800 aviões a Airbus deveria entregar mais 127 aeronaves em dezembro.

O registro é não oficial, e foi divulgado por uma fonte que trabalha na Airbus, de acordo com a Reuters. Já a Airbus disse que está otimista com o anúncio de entregas de 2018, mas que não iria confirmar nenhuma informação por enquanto.

A Boeing publicará seus próprios dados de produção ainda nesta terça-feira e deve continuar sendo a maior fabricante de aviões, visto que a meta da empresa era entregar pelo menos 820 aeronaves.

Além disso a Boeing também sofreu menos com os atrasos de entregas dos motores, visto que não utiliza a propulsão Pratt & Whitney Pure Power em seus aviões. A P&W foi a empresa que mais atrasou a entrega de novos motores em 2018, e a Airbus depende desses motores para alimentar parte da produção do A320neo e também toda a produção do A220.

Além disso, no início do ano a Airbus sofreu um período de adaptação da linha de montagem do A320 em Hamburgo, na Alemanha.

Já a Boeing sofreu um atraso na entrega dos motores CFM Leap-1A, que equipam os aviões da família Boeing 737 MAX, mas a fabricante norte-americana disse ter mitigado os atrasos nas entregas já em outubro.

Primeiro A320neo de interior executivo foi produzido neste ano em Hamburgo, na Alemanha.

O atraso nas entregas foi mitigado através de um esforço da Airbus para produzir mais aviões fora de Toulouse, em suas linhas no Alabama (EUA), Tianjin (China) e Hamburgo (Alemanha), esta última ficou responsável diversas vezes pela finalização de aeronaves, como testes em voo, pintura e instalação de interiores, liberando espaço em Toulouse para a fabricação de mais aeronaves.

A Airbus ainda precisa auditar os números, e deve publicar os seus dados de produção referentes a 2018 na próxima sexta-feira (11/01).