A Airbus parece que negociou realmente bem a compra dos A220 pela JetBlue, de acordo com o Serviço para Investidores da agência Moody’s, a empresa aplicou um desconto de 72% para conseguir tomar essa encomenda para si, fazendo a JetBlue deixar as aeronaves da Embraer de lado.

O contrato que tinha valor estimado de US$ 5,4 bilhões pode ter saído por algo entre US$ 1,4 bilhão a US$ 1,7 bilhão, dessa forma a Airbus pode ter comercializado o A220-300 por até US$ 23 milhões cada unidade, sendo que o preço por tabela é de US$ 91,5 milhões.

Os descontos são bem comuns em compras de aeronaves, ainda mais em um contrato grande como o da JetBlue, com 60 encomendas fixas e 60 opções de compra. Mas esse desconto da Airbus é avaliado pelos especialistas da Moody’s como excessivamente alto.

A empresa pode ter aplicado essa filosofia com finalidade de dar mais corpo na produção do A220-300, barateando o custo de cada aeronave. E também aumentar a visibilidade do A220 no mercado americano, já que a Delta também realizou uma grande encomenda para o A220-100.

Na agressiva negociação a Airbus fez uma espécie de “combo”, e converteu uma encomenda da JetBlue para 25 aviões A320neo, optando agora pelo A321neo. Um ajuste do cronograma de entrega também foi realizado na mesma ocasião.

A Airbus também permitiu que as opções de compra, para 60 aviões A220, sejam exercidas para qualquer variante da aeronave “regional”, ou seja, a JetBlue poderá escolher o A220-100 futuramente para atender destinos de menor demanda.

A JetBlue quer substituir as suas aeronaves do modelo E190 da frota atual pelo A220-300.


A JetBlue evitou comentar essa negociação com a Airbus, a fabricante seguiu o mesmo caminho e disse que não discorre sobre acordos confidenciais com seus clientes.

DEIXE UMA RESPOSTA