Airbus vai demitir 10 mil funcionários nos próximos dias

(Reuters) A Airbus está explorando planos de reestruturação que envolvem a possibilidade de cortes de empregos “profundos”, uma vez que se prepara para uma prolongada crise derivada do coronavírus.

De acordo com a lei francesa, a Airbus, sediada em Toulouse, não pode divulgar planos de reestruturação internamente antes de consultar os sindicatos por meio de um exercício formal não esperado antes do final de maio.

Mas as pessoas próximas à empresa disseram que a equipe sênior vai tentar ler nas entrelinhas do briefing semanal semanal de Faury para avaliar seus planos de trabalho.

“Nas últimas semanas, a Airbus implementou uma série de medidas financeiras, operacionais e sociais para se adaptar ao severo impacto econômico e à saúde da crise da COVID-19”, disse um porta-voz da Airbus.

“A empresa continuará a tomar todas as medidas necessárias para garantir o futuro da Airbus em cooperação com seus parceiros sociais.”

A Airbus planeja fazer um corte semelhante ao da Boeing, diminuindo cerca de 10% do número total de funcionários para adequar a quantidade de trabalhadores à menor demanda por produção de aeronaves.

Com isso, a Airbus pode demitir cerca de 10000 funcionários, como na reformulação Power8 em 2007. A Airbus tem cerca de 135 mil funcionários atualmente, cerca de 37% se aposentarão dentro de uma década.


Por enquanto, a Airbus está confiando em esquemas de licença do governo na França, Alemanha e Grã-Bretanha para reduzir os custos com pessoal depois de pedir aos funcionários que tirassem 10 dias de folga.

 

DEIXE UMA RESPOSTA