No dia 4 de setembro a American Airlines vai aposentar seus últimos aviões McDonnell Douglas MD-80, um pouco antes do previsto pela companhia aérea.

O MD-80, também conhecido como Super 80, foi o principal avião da frota da companhia aérea nos anos 80.

Abaixo está a programação dos últimos voos com o “Mad Dog” antes de seus voos de transferência para o armazenamento em Roswell, no Novo México (ROW).

Vale destacar o último voo, de numeração 80. 

Todos os cronogramas estão sujeitos a alterações com base nas necessidades operacionais da companhia.

Voar Encontro Saída Tempo Chegada Tempo
1449 3 de setembro GRR 1425 DFW 1606
2372 3 de setembro SAT 1955 DFW 2110
2257 3 de setembro MSY 1943 DFW 2122
1010 3 de setembro DFW 2034 STL 2218
267 3 de setembro DFW 2226 TUL 2329
2454 4 de setembro TIC 0500 DFW 0615
2180 4 de setembro AMA 0500 DFW 0618
2232 4 de setembro LBB 0500 DFW 0627
2586 4 de setembro PNS 0500 DFW 0656
2200 4 de setembro CLE 0540 DFW 0732
2891 4 de setembro VPS 0545 DFW 0754
2338 4 de setembro MFE 0615 DFW 0755
2540 4 de setembro OMA 0600 DFW 0758
2605 4 de setembro RDU 0600 DFW 0758
2326 4 de setembro DSM 0600 DFW 0800
2185 4 de setembro SAT 0700 DFW 0814
2500 4 de setembro CVG 0629 DFW 0802
1999 4 de setembro STL 0730 DFW 0924
1538 4 de setembro VPS 0719 DFW 0934
1038 4 de setembro TIC 0810 DFW 0937
2335 4 de setembro ABQ 0650 DFW 0938
80 4 de setembro DFW 09:00

 

O MD-80 foi durante muito tempo um dos principais aviões nos voos domésticos dos Estados Unidos, quando a Boeing não tinha nada comparável em tamanho e o 727 era muito antiquado e “gastão” para cumprir esses voos curtos. Desde a década de 1980 até o início dos anos 2000 esse foi um dos principais da frota da American Airlines.

Para ter noção, o pico da frota de MD-80 e -90 nos Estados Unidos foi atingido em 2000, com 683 aeronaves em operação. Só na American Airlines cerca de 362 desses operavam em sua frota em 2001, quando depois do pico, a frota foi diminuindo gradualmente, até registrar 45 aviões nos dias atuais.

Nos EUA o MD-80/90 só perdia para o Boeing 737, durante seu período de domínio, e mesmo dessa forma por uma vantagem pequena, que poderia ser descontada se a McDonnell Douglas não tivesse caído em uma crise financeira. Por lá a American foi a primeira grande companhia que firmou um contrato para encomendar o MD-80, mesmo assim com grandes ressalvas, visto que ela firmou um acordo de leasing que permitia devolver a aeronave após cinco anos de uso sem penalidade, ou antes com uma taxa de cancelamento baixa.

Inicialmente o MD-80 substituiria o Boeing 727 na frota da American Airlines, com capacidade semelhante, o avião da McDonnell Douglas conseguia ser 37% mais eficiente, em comparação com o concorrente de geração anterior. No final ela usou os aviões para expandir seus voos, ao encomendar 137 aviões dessa família, enquanto continuava operando com o 727 para destinos secundários.

Em 2016 a American Airlines retirou 20 aviões MD-80 da sua frota em somente um dia.

Na frota da American Airlines os aviões da linha MD-80 serão substituídos pelos 737-800 NG, enquanto a American trabalha para substituir os 737-800 NG pelos 737 MAX 8. Dessa forma a companhia vai trabalhar com uma hierarquia dentro da sua frota.

O MD-80 deriva do DC-9, originalmente lançado pela Douglas em 1965, para concorrer com o 737-200 (Classic). Apelidado de Mad Dog, o MD-80 foi bastante modernizado para entrar no mercado na década de 80, ele é capaz de fazer pousos com o ILS CAT III ativado e também realizar procedimentos RNAV.

 

*O MD-80, citado pelo editor acima, se trata de uma família de aeronaves, atualmente a American Airlines opera com o MD-82 e 83, mas o editor optou por compactar tudo como MD-80 para facilitar a leitura. Quando citamos MD-80 podemos se referir à família MD-80, a qual a American já operou muitas das aeronaves, ou também aos últimos aviões que restam em sua frota, da linha MD-82/83.

DEIXE UMA RESPOSTA