No dia 4 de setembro a American Airlines vai aposentar seus últimos aviões McDonnell Douglas MD-80, um pouco antes do previsto pela companhia aérea.

O MD-80, também conhecido como Super 80, foi o principal avião da frota da companhia aérea nos anos 80.

Abaixo está a programação dos últimos voos com o “Mad Dog” antes de seus voos de transferência para o armazenamento em Roswell, no Novo México (ROW).

Vale destacar o último voo, de numeração 80. 

Todos os cronogramas estão sujeitos a alterações com base nas necessidades operacionais da companhia.

VoarEncontroSaídaTempoChegadaTempo
14493 de setembroGRR1425DFW1606
23723 de setembroSAT1955DFW2110
22573 de setembroMSY1943DFW2122
10103 de setembroDFW2034STL2218
2673 de setembroDFW2226TUL2329
24544 de setembroTIC0500DFW0615
21804 de setembroAMA0500DFW0618
22324 de setembroLBB0500DFW0627
25864 de setembroPNS0500DFW0656
22004 de setembroCLE0540DFW0732
28914 de setembroVPS0545DFW0754
23384 de setembroMFE0615DFW0755
25404 de setembroOMA0600DFW0758
26054 de setembroRDU0600DFW0758
23264 de setembroDSM0600DFW0800
21854 de setembroSAT0700DFW0814
25004 de setembroCVG0629DFW0802
19994 de setembroSTL0730DFW0924
15384 de setembroVPS0719DFW0934
10384 de setembroTIC0810DFW0937
23354 de setembroABQ0650DFW0938
804 de setembroDFW09:00

 

O MD-80 foi durante muito tempo um dos principais aviões nos voos domésticos dos Estados Unidos, quando a Boeing não tinha nada comparável em tamanho e o 727 era muito antiquado e “gastão” para cumprir esses voos curtos. Desde a década de 1980 até o início dos anos 2000 esse foi um dos principais da frota da American Airlines.

Para ter noção, o pico da frota de MD-80 e -90 nos Estados Unidos foi atingido em 2000, com 683 aeronaves em operação. Só na American Airlines cerca de 362 desses operavam em sua frota em 2001, quando depois do pico, a frota foi diminuindo gradualmente, até registrar 45 aviões nos dias atuais.

Nos EUA o MD-80/90 só perdia para o Boeing 737, durante seu período de domínio, e mesmo dessa forma por uma vantagem pequena, que poderia ser descontada se a McDonnell Douglas não tivesse caído em uma crise financeira. Por lá a American foi a primeira grande companhia que firmou um contrato para encomendar o MD-80, mesmo assim com grandes ressalvas, visto que ela firmou um acordo de leasing que permitia devolver a aeronave após cinco anos de uso sem penalidade, ou antes com uma taxa de cancelamento baixa.

Inicialmente o MD-80 substituiria o Boeing 727 na frota da American Airlines, com capacidade semelhante, o avião da McDonnell Douglas conseguia ser 37% mais eficiente, em comparação com o concorrente de geração anterior. No final ela usou os aviões para expandir seus voos, ao encomendar 137 aviões dessa família, enquanto continuava operando com o 727 para destinos secundários.

Em 2016 a American Airlines retirou 20 aviões MD-80 da sua frota em somente um dia.

Na frota da American Airlines os aviões da linha MD-80 serão substituídos pelos 737-800 NG, enquanto a American trabalha para substituir os 737-800 NG pelos 737 MAX 8. Dessa forma a companhia vai trabalhar com uma hierarquia dentro da sua frota.

O MD-80 deriva do DC-9, originalmente lançado pela Douglas em 1965, para concorrer com o 737-200 (Classic). Apelidado de Mad Dog, o MD-80 foi bastante modernizado para entrar no mercado na década de 80, ele é capaz de fazer pousos com o ILS CAT III ativado e também realizar procedimentos RNAV.

 

*O MD-80, citado pelo editor acima, se trata de uma família de aeronaves, atualmente a American Airlines opera com o MD-82 e 83, mas o editor optou por compactar tudo como MD-80 para facilitar a leitura. Quando citamos MD-80 podemos se referir à família MD-80, a qual a American já operou muitas das aeronaves, ou também aos últimos aviões que restam em sua frota, da linha MD-82/83.