American Airlines Aeronaves Carbono
Foto - Chris Lofting

As companhias se uniram para desenvolver um programa piloto inovador, projetado para aumentar a produção de combustível de aviação sustentável

A American Airlines e Deloitte anunciaram uma colaboração inovadora para promover o uso do combustível sustentável de aviação (sustainable aviation fuel – SAF), com o objetivo de diminuir as emissões advindas do setor.

O acordo entre as companhias reduz as emissões do ciclo de vida da aviação em 3.050 toneladas métricas de dióxido de carbono (CO2), o que equivale a aproximadamente 10.000 passageiros voando de ida da cidade de Nova York a Los Angeles.

Esta é uma das primeiras colaborações entre uma organização que busca reduzir as emissões líquidas de viagens de negócios e uma companhia aérea americana que está usando o SAF em suas operações diárias. Isso fornece à Deloitte uma oportunidade dentro da aviação para ajudar a cumprir sua ambiciosa meta de reduzir as emissões de viagens de negócios, por funcionário, em 50% até 2030.

A companhia entende a importância do combustível em aumentar sua capacidade de conexão com clientes por meio de viagens de negócios sustentáveis.

“Reconhecemos o papel importante que a comunidade empresarial desempenha na transição para uma economia de baixo carbono. É uma tarefa monumental que nenhuma organização consegue resolver sozinha, e é por isso que estamos ansiosos para trabalhar com a American Airlines em um novo conceito para acelerar a adoção de uma fonte de combustível que pode reduzir drasticamente as emissões originadas da aviação’’, disse Joe Ucuzoglu, CEO da Deloitte US.

“Para progredirmos significativamente no combate às alterações climáticas, é essencial que as organizações continuem a colaborar entre si por meio de soluções inovadoras e ações ousadas.’’

A Deloitte e a American concordam que o SAF é uma importante ferramenta para reduzir as emissões vindas da aviação, embora ainda não esteja disponível em escala ou preço necessário para reduzi-las consideravelmente.

Esta colaboração vai explorar como uma nova solução para o mercado – um certificado que aponta o valor da redução de emissões do SAF – pode beneficiar companhias que buscam reduzir suas emissões de escopo 3 em viagens de negócios.

“Investir na descarbonização da aviação é um imperativo para nossa companhia e indústria’’, disse Doug Parker, presidente e CEO da American.

“Enquanto trabalhamos para alcançar o objetivo de zero emissões líquidas até 2050, sabemos que podemos ajudar a acelerar a transição para viagens aéreas de baixo carbono por meio de colaborações como esta, atendendo às necessidades de nossos clientes e do planeta.  Estamos orgulhosos e animados para trabalhar com a Deloitte para promover nossa visão compartilhada para um futuro mais sustentável’’.

O certificado SAF é um conceito em desenvolvimento pela iniciativa Clean Skies for Tomorrow do Fórum Econômico Mundial, com o objetivo de liberar novo capital para aumentar a produção do combustível, aproveitando a ambição de metas corporativas de clima para reduzir emissões de viagens de negócios. O SAF, em conjunto com os certificados, pode ser usado por corporações para atingir seus objetivos de sustentabilidade.

‘’Entendemos que a ação mais imediata para alcançar voos com carbono neutro é o investimento e o rápido aumento da produção e uso de combustível de aviação sustentável – o que, por sua vez, exigirá mecanismos regulatórios inovadores e sinais claros de demanda’’, explicou Christoph Wolff, chefe do Shaping the Future of Mobility Program no Fórum Econômico Mundial.

“Estamos muito satisfeitos em ver esta demonstração da Deloitte e da American Airlines de que um novo mecanismo de mercado é sim viável e pode ajudar a atender às necessidades das empresas com metas climáticas ambiciosas.”

O compromisso da Deloitte com a sustentabilidade

O propósito da empresa é concretizado por meio do compromisso em ajudar a impulsionar escolhas climáticas responsáveis, ​como parte da meta WorldClimate e em apoio ao Acordo de Paris.

A companhia reconhece que a mudança começa dentro. A Deloitte estabeleceu padrões para si, incluindo a obtenção de zero emissões líquidas até 2030. Também busca conectar-se com outros, capacitando seus profissionais e envolvendo seu ecossistema mais amplo para criar soluções que facilitem a transição para uma economia de baixo carbono. Isso exigirá reimaginar, reinventar e redesenhar muitas das experiências do dia a dia, bem como a forma como os negócios e as economias operam.

A estratégia de alterações climáticas da American

Em resposta ao premente desafio global da mudança climática, a American estabeleceu uma meta para atingir emissões líquidas de carbono zero até 2050 e desenvolveu um caminho para alcançá-la. A redução do uso de combustível de aviação tradicional é um foco central da estratégia de mudança climática da companhia aérea, razão pela qual a American empreendeu a iniciativa de substituição de frota mais extensa da história da aviação comercial e se comprometeu a comprar 9 milhões de galões de combustível de aviação sustentável nos próximos três anos.

O SAF atende ou excede todas as características de desempenho do combustível para aviação à base de petróleo, mas é feito de matérias-primas de origem sustentável e tem emissões de CO2 no ciclo de vida que são pelo menos 75% menores do que as do combustível para aviação à base de petróleo.

A longo prazo, a American trabalha para facilitar avanços mais amplos em políticas, mercados, infraestrutura e tecnologia que, em última instância, permitirão a transição para a aviação de baixo carbono.

Embora haja muitas medidas que a companhia aérea pode tomar para reduzir sua pegada de carbono, a transição para um futuro de aviação de baixo ou nenhum carbono dependerá dos esforços combinados do setor privado e de políticas eficazes de governos em todos os níveis, juntamente com avanços na estrutura da aeronave, tecnologias de motor e combustível. Mais informações sobre a estratégia de sustentabilidade da American estão disponíveis no relatório de ESG mais recente da companhia aérea.

 

Via: American Airlines