Clique Aqui e receba as principais Notícias da Aviação em tempo real diretamente no seu Whatsapp ou Telegram.

A American Airlines declarou que sua operação no verão será extremamente motivadora para o setor de aviação. A companhia planeja colocar 90% da sua oferta de assentos no mercado doméstico, em meio ao aquecimento por mais viagens turísticas, com o avanço da vacinação nos Estados Unidos.

Cerca de 150 rotas serão reestabelecidas pela companhia aérea, para atender a demanda de passageiros no período. A American disse que a malha serão bem semelhante ao mesmo período de 2019, incluindo a diferença na oferta de assentos.

“Durante a pandemia, nossa marca registrada foi construir um cronograma com base no que os clientes nos dizem que querem e precisam”, diz Brian Znotins, vice-presidente de planejamento de rede da American. “E hoje, eles estão nos dizendo que estão ansiosos para voltar a viajar.”

As cidades de Orlando (Flórida), Asheville (Carolina do Norte), Kalispell, Montana e Jackson (Wyoming), Nashville, Pittsburgh e Birmingham (Alabama), serão algumas que vão receber voos extras no período.

EUA Viagens Pandemia Aeroporto

Algumas rotas entre o leste e o oeste dos Estados Unidos vão receber um incremento especial de assentos com o uso de aviões widebody, no lugar das aeronaves menores, narrowbody.

Os aeroportos de Miami, Los Angeles e John F. Kennedy (Nova York) serão interligados com aviões Boeing 777 neste período, para potencializar os hubs da companhia.

A operação internacional também receberá um incremento, e a American promete oeprar com 80% da sua capacidade de assentos.

A companhia terá mais voos ou assentos para Bogotá, Cali, na Colômbia; Guayaquil, no Equador; Lima, Peru; Medellín, na Colômbia; Porto Príncipe, no Haiti; e Quito, no Equador.

Os 10% de aviões restantes ficarão disponíveis como aeronaves de reserva, enquanto dezenas de aeronaves serão reativadas pela empresa antes de junho. Vale ressaltar que a American Airlines aposentou algumas aeronaves durante a pandemia, como os aviões do modelo 757 e 767, logo, a frota principal da empresa é menor, na comparação com 2019.