Drone ANAC

Após uma série de estudos e testes práticos, a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) concluiu, na última semana, o processo que permite um novo modelo de aeronave não tripulada, também conhecida como drone, realizar operações acima de 400 pés — equivalente a 120 metros de altitude — e até 30 km de distância do ponto de decolagem.

A autorização inédita para operação com essa distância foi concedida ao modelo Echar 20D, da fabricante brasileira XMobots. Com peso aproximado de 8kg e envergadura de mais de 2m, o drone será empregado em operações de mapeamento, georreferenciamento e inspeções, em atividades relacionadas à agricultura, mineração, silvicultura, infraestrutura, meio ambiente, recursos hídricos, entre outras.

A autorização permite o aumento das possibilidades para voos além da linha de visada visual (beyond visual line of sight – BVLOS) no Brasil, e possibilita que o setor usufrua dessa tecnologia com segurança.

Durante a cerimônia virtual de autorização do drone, realizada na tarde desta quinta-feira (18) entre técnicos da ANAC e representantes da empresa, o superintendente de Aeronavegabilidade da ANAC, Roberto Honorato, destacou o trabalho realizado durante o processo de certificação e ressaltou a importância dessa autorização para o desenvolvimento comercial das atividades que passam a contar com esse modelo de aeronave .

“O desenvolvimento de projetos nacionais é muito importante, seja pelo benefício que pode oferecer aos usuários finais, pelo desenvolvimento de uma indústria de alta tecnologia, mas também para o Brasil ter relevância no cenário internacional”, ressalta. Honorato também mencionou o crescimento das fabricantes brasileiras de drones. “É importante destacar também o esforço da indústria nacional nos novos perfis operacionais e as soluções necessárias para se garantir a segurança das operações”.

A XMobots já havia sido a primeira empresa a receber autorização de projeto da ANAC para operar voos acima de 120 metros, emitida para o RPA Arator 5B, em 2018 (clique no link para acessar).

Pioneira na fabricação de aeronaves não tripuladas no país, a empresa foi também a primeira a obter, em 2013, um Certificado de Autorização de Voo Experimental (CAVE) para operar um Veículo Aéreo Não Tripulado (VANT) feito no Brasil  (clique para saber mais).

 

Trabalho técnico de certificação de projeto

O processo para autorização do modelo Echar 20D foi conduzido pela Gerência de Certificação de Projeto de Produto Aeronáutico, da Superintendência de Aeronavegabilidade. Entre os trabalhos desenvolvidos pelos técnicos estão: avaliação de plano de trabalho e verificação de dados técnicos, manuais de voo e manutenção, entre outros.

A última etapa do processo de autorização ocorreu em janeiro deste ano, com a realização de ensaios acompanhados por técnicos da ANAC na cidade de Lins, em São Paulo. Durante o ensaio de voo, foram avaliadas características de projeto e de operação, como desempenho do sistema de iluminação e do enlace de comando e controle, capacidade de recuperação de falhas.

Essa é a quarta autorização de projeto emitida pela ANAC e que já viabilizou a emissão de Certificado de Aeronavegabilidade Especial (CAER) para RPA para mais de 30 drones.

Atualmente, outras 40 aeronaves estão em processo de obtenção do certificado cujo processo de emissão se tornou mais fácil desde dezembro do ano passado (clique no link para saber mais), com a desburocratização e a simplificação dos processos promovidos pela ANAC, por meio do Programa Voo Simples.

A ANAC continua trabalhando para aumentar o acesso da sociedade aos benefícios dessa nova tecnologia por meio da condução de outros processos em andamento para autorização de novos modelos e também pela busca da contínua melhoria e atualização da regulamentação do setor, tendo incluído dois temas referentes ao assunto na agenda regulatória 2021-2022 da Agência.

 

Via: ANAC