Ao encerrar a segunda edição do Safety Management Summit (SMS – Brazil 2017), o Diretor Presidente substituto da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), Ricardo Bezerra, defendeu uma maior integração e participação dos agentes do setor e dos regulados para aprimorar a segurança operacional da aviação civil no Brasil.

“A segurança é a nossa prioridade, mas não fazemos nada sozinhos. Apenas com a cooperação e a participação de cada um é possível trazer para o país as melhores práticas e regulamentações que contribuam para a segurança operacional”, disse.

Realizado em parceria com o Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA), o SMS Brazil 2017 reuniu representantes de autoridades internacionais de aviação e controle de tráfego aéreo no Rio de Janeiro para debater boas práticas de segurança na aviação. Os mais de 240 participantes tiveram a oportunidade de conhecer melhor as experiências de gerenciamento da segurança da aviação civil apresentadas por autoridades da aviação civil da França, de Portugal e dos Estados Unidos.

Foto – ANAC/Divulgação

A cooperação entre agentes regulados e autoridades reguladoras, somada ao compartilhamento de informações sobre segurança operacional, deu a tônica do encontro realizado desde ontem, dia 7/12, no Hotel Prodigy Santos Dumont, na capital carioca. Outro ponto bastante explorado foi a importância do incentivo ao aumento da cultura de segurança entre todos os operadores e agentes da aviação, bem como o conceito da cultura justa, que estimula o relato de incidentes e erros em um clima colaborativo, e não punitivo, a fim de aperfeiçoar os serviços aéreos.

O evento contou com participações internacionais de Marcelo Ureña, do escritório da Organização da Aviação Civil Internacional (OACI) em Lima; Carlos Cirilo, da Associação Internacional de Transportes Aéreos (IATA); Christopher Barks e Robert Ruiz, do Federal Aviation Administration (FAA); Kimberly Pyle, do Civil Air Navigation Services Organization (CANSO); Greg Myles, da NAV Canada, e Marinella Leone, da Eurocontrol.

Palestrantes e mediadores da ANAC, DECEA e do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (CENIPA) também apresentaram experiências brasileiras em segurança operacional da aviação civil. “Quem ganha com toda essa troca somos todos nós: os profissionais da aviação, que podem oferecer serviços cada vez melhores, e os usuários, que podem seguir suas viagens com grande conforto e segurança”, disse o Diretor Geral o DECEA, Jeferson Domingues.

Via – ANAC