Policia Federal ANAC
Agentes da PF. Imagem ilustrativa.

ANAC e Polícia Federal promovem simulações com utilização de explosivos reais

Com o objetivo de elevar a segurança contra atos de interferência ilícita nos aeródromos civis públicos brasileiros e contribuir com a segurança da aviação nacional, foi realizada, no início do mês de maio, atividade de simulação presencial com a utilização de explosivos reais no Aeroporto de Brasília.

O ensaio técnico contou com a presença de representantes da Polícia Federal e da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), bem como da indústria do Subgrupo 02 do Brazilian Aviation Security Team (BASeT), comitê dedicado à melhoria da segurança da aviação civil brasileira.

A simulação faz parte de projeto criado em 2020 pelo Subgrupo 02 do Brazilian Aviation Security Team (BASeT), cujo tema é a “Atualização dos padrões de detecção de equipamentos e sua aferição: Raios-X com EDS (Explosive Detection System)”.

Aeroporto Brasil
Foto: Aeroporto de Brasília

Desenvolvendo um trabalho inédito no Brasil, o projeto conta com a participação de representantes de operadores de aeródromos, operadores aéreos, fabricantes de raios-x com EDS, fabricantes de simulacros de explosivos e a Polícia Federal, sendo coordenado por representante da ANAC.

Entre as atividades desse Subgrupo 02, estão o desenvolvimento de um benchmarking internacional realizado com países como Argentina (ORSNA, Organismo Regulador del Sistema Nacional de Aeropuertos), Peru (DGAC, Dirección General de Aeronáutica Civil), Estados Unidos (TSA, Transportation Security Administration) e com a ECAC, além de um largo estudo sobre a atual situação da capacidade de detecção dos equipamentos de inspeção automática de bagagem despachada nos aeródromos brasileiros.

Os aeroportos de Confins, Campinas, Guarulhos, Florianópolis e Porto Alegre serão submetidos ao mesmo estudo nos próximos 30 dias, havendo continuidade dos trabalhos até que todos os aeródromos civis brasileiros que possuam equipamentos de raios-x com EDS para a inspeção da bagagem despachada sejam avaliados.

Para saber mais sobre o BASeT, acesse a página do Grupo Brasileiro de Segurança da Aviação Civil contra Atos de Interferência Ilícita no site da ANAC. (Clique no link para acessar).

 

Via: ANAC