ANAC emite certificado operacional aos Aeroportos de Londrina e Araguaína

Foto: Geraldo Bubniak/ANPr

Os operadores dos aeródromos de Londrina, no Paraná, e de Araguaína, no Tocantins, receberam nesta semana o Certificado Operacional de Aeroporto da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC).

O certificado foi emitido após os operadores dos aeródromos comprovarem o atendimento aos requisitos regulamentares de infraestrutura e segurança operacional exigidos pela Agência.

Divulgadas nos dias 12 e 13 deste mês no Diário Oficial da União (DOU), as Portarias nº 3.206 e nº 3.214, que concede os certificados operacionais aos aeroportos de Londrina/PR e Araguaína/TO, podem ser consultadas na íntegra, no site da Agência (clique no link para acessar). 

Com a emissão do Certificado Operacional, além de permitir a ampliação da oferta de voos comerciais, o aeroporto de Londrina/PR, administrado pela Infraero, poderá também realizar voos regularmente com aeronaves mais exigentes àquelas atualmente em operação no aeroporto, desde que compatíveis com o código de referência 4C ou inferior (clique no link para acessar). 

Atualmente, o aeroporto conta com a operação de 12 voos semanais de transporte regular de passageiros das três principais companhias aéreas do país (Gol, Latam e Azul).

Com a certificação emitida pela ANAC, o aeroporto de Araguaína/TO, administrado pela prefeitura municipal, poderá operar aeronaves compatíveis com o código de referência 2C ou inferior, possuindo também autorização especial para operações com ATR-72.

As certificações operacionais ficam condicionadas à manutenção pelos operadores aeroportuários da infraestrutura avaliada, no âmbito dos processos, por meio dos quais as outorgas foram concedidas.


 

Certificações emitidas pela Agência

Com a emissão dos dois certificados concedidos em novembro, já são 15 o total de outorgas emitidas aos operadores aeroportuários em 2020 pela ANAC. Em maio, os aeroportos de Cabo Frio, no Rio de Janeiro, Eirunepé e São Gabriel da Cachoeira (clique no link para saber mais), no Amazonas receberam o certificado da Agência.

DEIXE UMA RESPOSTA